REGIÃO – Centro tecnológico em Famalicão arranca em 2020 para inovar sector das carnes

REGIÃO –
Centro tecnológico em Famalicão arranca em 2020 para inovar sector das carnes

As obras do Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Indústria das Carnes (TECMEAT, CVTT-Indústria das Carnes), em Famalicão, arrancam no primeiro trimestre de 2020.

Em comunicado, a Câmara a autarquia informa que “a garantia surge depois do município ver aprovada a candidatura do financiamento para a criação desta infraestrutura ao Norte 2020 através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)”.

PUBLICIDADE

Com um investimento total previsto de 998.760 mil euros, o centro conta com uma comparticipação de 812 mil euros, o que corresponde a 85% do valor.

Para o presidente da Câmara, Paulo Cunha, esta é “uma excelente notícia para a economia do concelho e do país, e uma alavanca fundamental para o desenvolvimento do sector do agroalimentar que é uma aposta estratégica para o futuro do nosso território”.

 A infraestrutura fica localizada no Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior de Famalicão – antigo complexo educativo da Escola Cooperativa de Ensino Didáxis de Vale de S. Cosme – onde estão já instalados os polos do IPCA (Instituto Politécnico de Cávado e do Ave) e do IPB (Instituto Politécnico de Bragança). Em breve, o espaço recebe também um laboratório de formação, investigação e conhecimento na área da Biologia Alimentar da Universidade do Minho.

Tem uma área de aproximadamente 560 metros quadrados, que beneficiará de obras de adaptação à estrutura, com vários espaços destinados ao fabrico e a processos de testes, ensaios, industrialização e qualidade dos produtos.

INVESTIGAÇÃO

“É um espaço com todas as condições tecnológicas, de investigação e conhecimento para acolher esta ambiciosa estrutura”, afirma Paulo Cunha.

Refira-se que a candidatura foi apresentada através da TECMEAT – Centro de Competências para o Sector das Carnes, uma associação que foi criada por iniciativa do município há precisamente um ano, em Novembro de 2018, com “o objectivo de implementar esta estrutura estratégica para o concelho, congregando 16 instituições da região e do país”.

“Com esta associação conseguimos congregar esforços e canalizar energias para a implementação deste Centro de Competências, o qual terá como missão potenciar o aumento da competitividade e inovação das empresas através do desenvolvimento científico e tecnológico e ser agente proporcionador do aumento das exportações e da criação de valor no sector das carnes de forma integrada e sustentável”, explica o autarca.

“Estamos a falar de um centro que irá inovar pelo conceito assumindo-se como polinuclear, aproveitando a capacidade instalada em empresas, universidades e centros de investigação, entre outros”, adianta o autarca, acrescentando que “a nossa grande ambição é fazer um centro de competências que seja uma lição para o país ao nível do aproveitamento de recursos e das sinergias institucionais geradas”.