AMARES - Comissão homenageou António Variações no dia em que se assinalam 35 anos da sua morte

AMARES -
Comissão homenageou António Variações no dia em que se assinalam 35 anos da sua morte

A Comissão Promotora da Homenagem a António Variações organizou, ao longo desta quinta-feria, 13 de Junho, no dia em que se assinalam os 35 anos da morte do artista, um conjunto de homenagens, em Braga e em Amares, neste último caso na freguesia de Fiscal. Parte da família do poeta e cantor esteve presente nas homenagens.

DECLAMAR E CANTAR ANTÓNIO VARIAÇÕES EM BRAGA”

Pelas 10h, na Pastelaria Veneza, em Braga, os alunos do 1.°ano do Colégio D. Pedro V declamaram a letra da canção “Anjinho da Guarda” e cantaram “Estou Além!”.

PUBLICIDADE

Os alunos tiveram ainda oportunidade de ver os originais das letras das canções “Ao Passar Por Braga Abaixo”, “Muda de Vida” e “Não me consumas”.

Esta actividade foi promovida pela Comissão, em parceria com o Colégio D. Pedro V.

ANTÓNIO VARIAÇÕES HOMENAGEADO COM POESIA, MÚSICA E ROSAS EM FISCAL

Ao final da tarde, no Cemitério Paroquial de Fiscal, foi prestada uma outra homenagem ao cantor, através da leitura de um poema da autoria de Luiz Ribeiro (irmão do homenageado) com o nome “A Ribeira de Fiscal”, seguindo-se a declamação das quadras inéditas da letra da canção “Ao Passar Por Braga Abaixo”, de António Variações.

Após as intervenções de Carlos Dobreira e Fabíola Lopes, da Comissão Promotora, tomou a palavra Jaime Ribeiro, também irmão do artista, que em representação da família deixou algumas palavras aos presentes.

Seguiu-se um momento musical com a interpretação da canção “Quero é viver”, por parte do jovem artista pradense Rogério Braga, acompanhado por Rosana Lopes, Rita Fernandes e Pedro Gil.

A Homenagem terminou com a deposição de uma grinalda de rosas na campa do cantor, tendo os presentes seguido para o memorial com o busto de António Variações, localizado na entrada da freguesia de Fiscal.

RECONHECIMENTO DO CANTOR E MUSEU

Durante a sessão, Carlos Dobreira, da Comissão Promotora, reforçou o apelo anteriormente feito, para o «reconhecimento do cantor, na sua terra, com a atribuição da Medalha de Honra do Município de Amares, assim como a nível nacional, aguardando-se a resposta do Senhor Presidente da República perante a proposta desta Comissão para a atribuição de ordem honorífica».

Carlos Dobreira lançou ainda o desafio para a construção de um Museu António Variações.

«É tempo de arregaçar as mangas e concretizar este projecto, em sintonia com a Família e com o envolvimento das instituições, das empresas, de particulares e da autarquia», afirmou o membro da Comissão.

Mais desenvolvimentos na edição impressa de Julho de 2019