PAÍS -
Covid-19. Governo aprova esta semana linha específica de apoio à restauração

O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai aprovar um pacote específico de apoio à restauração dos concelhos mais atingidos pela covid-19, procurando compensar a receita que estes estabelecimentos vão perder nos dois próximos fins-de-semana.

Esta medida do executivo socialista, que a aprovar ainda esta semana, foi transmitida, esta segunda-feira, por António Costa em entrevista à TVI, depois de interrogado sobre as consequências económicas para os sectores da restauração e da hotelaria resultantes das restrições de circulação que são aplicadas nos dois próximos fins-de-semana nos concelhos mais atingidos pela covid-19.

Nesta entrevista, que coincidiu com o primeiro dia de vigência do estado de emergência, o primeiro-ministro reconheceu que a restauração tem sido muito atingida do ponto de vista económico e referiu que as medidas já tomadas pelo seu executivo na semana passada, com um valor global ordem dos 1.550 milhões de euros, são em grande parte a fundo perdido e destinam-se a micro e pequenas, muitas delas da restauração.

PUBLICIDADE

“Vamos agora anunciar esta semana um pacote específico para apoiar as empresas da restauração relativamente ao que vão perder de receita nos próximos dois fins-de-semana”, declarou o líder do executivo.

Segundo António Costa, o e-fatura do Portal das Finanças permite saber qual é a receita de cada restaurante, ou durante o último ano, ou no último fim de semana em que há dados disponíveis.

“Portanto, podemos saber qual é a receita que cada um tem e que teoricamente vai perder. Vamos fazer a média (pode ser a média do ano, pode ser só o mês de Outubro), mas não está fixado o critério”, advertiu.

Ou seja, de acordo com o primeiro-ministro, para a concessão dos apoios, O Governo, através do e-fatura, vai saber qual é a receita de cada um dos restaurantes, “porque não é mesma”.

“Há restaurantes que facturam sobretudo ao fim-de-semana e há outros restaurantes que até fecham ao fim-de-semana, sobretudo nas zonas mais de serviços”, justificou.

António Costa disse ainda que o executivo tem estimado “quais são os custos fixos que essas empresas têm”.

“Sabemos, também, entre essas que têm custos fixos, aquelas que estão já a ser apoiadas pelas medidas do lay-off. Quanto às outras podemos estabelecer um apoio específico para mitigar os prejuízos destes dois fins-de-semana”, completou, sem referir mais detalhes dessa medida.

Ainda sobre esta linha específica de apoio financeiro, António Costa acrescentou que vai falar com as associações da restauração ao longo desta semana e defendeu que este sector tem uma situação distinta em relação à hotelaria ou a lojas de roupa, porque nos restaurantes a perda pelo encerramento “é absoluta”.