DESPORTO

DESPORTO -
“Desta vez, o palco foi a Pereira”. Livro “FUT360L – da Pereira à Pedreira” apresentado no Gerês

Share on facebook
Share on twitter

O Centro de Animação Termal da Vila do Gerês acolheu, na noite deste sábado, a apresentação do livro “FUT360L – da Pereira à Pedreira”, da autoria de Carlos Mangas.

A sessão iniciou com um momento musical protagonizado pela saxofonista Ana Faria, que assim deu um “outro colorido” à apresentação.

Após a visualização de um vídeo sobre a história de vida do autor, a apresentação, que esteve a cargo do professor António Cunha – um dos responsáveis pela elaboração da parte gráfica do livro – iniciou com umas palavras deste último, que começou por lembrar as «lutas» tidas para a escolha do título. Com algum “humor à mistura”, António Cunha notou que o livro, que se intitula “da Pereira à Pedreira”, foi apresentado de forma «oposta», ou seja, primeiro em Braga, em 2020, local da Pedreira, e para terminar no Gerês, em 2022, onde se situa o Campo da Pereira.

PUBLICIDADE

António Cunha salientou as «múltiplas vivências do autor como praticante, treinador, coordenador, prospector, dirigente e também de pai», algo que lhe permitiu «abordar, falar e escrever sobre diferentes aspectos que envolvem o futebol, principalmente de formação» e por, de «forma directa, ter estado envolvido em todos eles».

De seguida usou da palavra o autor do livro, Carlos Mangas, apontando diversos aspectos que considera «nefastos para a evolução do futebol de formação» em Portugal. Temas como a «incoerência dos quadros competitivos existentes nos escalões da formação» e até «o verdadeiro papel dos pais» nos mesmos foram alguns dos assuntos relatados.

O autor realçou ainda que «treinar jovens não pode ser visto, nunca, como um trampolim para treinar escalões superiores e à custa de resultados desportivos que contrariem a evolução dos projectos de futebolistas», deixando um «alerta» aos pais para os «cuidados a ter com o “canto” dos prospectores, que tudo prometem para levar as crianças para outros clubes».

À semelhança de António Cunha, Carlos Mangas deu também o exemplo ao lembrar alguém que, “mesmo não estando entre nós”, será sempre lembrado e permanecerá presente em inúmeras vidas e no livro do qual foi revisor, o professor Fernando António dos Santos Silva, também ele geresiano.

Por último e igualmente presente na sessão esteve o presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, que agradeceu ao autor e ao apresentador o momento de partilha lembrando que o Concelho tem «muita gente válida e de valor» e que o Município estará sempre disponível para «apoiar e dar a conhecer as suas obras».

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS