PAÍS -
Eixo Atlântico quer ajuda da Europa aplicada em investimento produtivo

A comissão executiva do Eixo Atlântico decidiu hoje, em reunião por vídeo-conferência, pedir aos primeiros-ministros de Portugal e Espanha para que os fundos recebidos da Europa sejam maioritariamente aplicados em investimento produtivo e não exclusivamente em subsídios.

A Comissão Executiva do Eixo Atlântico, que reuniu esta sexta-feira por vídeo-conferência, solicitou ao presidente da Xunta de Galicia, na sua condição de presidente da Comunidade de Trabalho Galiza – Norte de Portugal, a convocatória “urgente” de um plenário deste órgão para discutir o plano de investimentos transfronteiriço.

A medida surge após o noticiado acordo alcançado entre o presidente da Xunta e o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), para o qual o Eixo Atlântico reclama a participação de todos os sectores envolvidos na cooperação: autarquias, empresários, sindicatos e universidades.

PUBLICIDADE

A associação transfronteiriça vai ainda solicitar aos primeiros ministros de Espanha e de Portugal para que os fundos recebidos da Europa sejam maioritariamente investimento

Em comunicado, o Eixo reconhece que os subsídios são necessários, neste momento, para as situações de emergência social, mas considera que não se deve caminhar para “uma sociedade subsidiada, mas sim para uma sociedade produtiva”.

O Eixo Atlântico pede, deste modo, que a participação das autarquias na programação e distribuição dos fundos europeus, “com especial atenção aos sectores produtivos do território” e com prioridade, desde logo, às redes digitais, “cuja importância se evidencia durante a pandemia”.

O Eixo pede ainda prioridade ao mundo rural e às infraestruturas, “mais necessárias do que nunca, no âmbito das ligações marítimas e ferroviárias”.

O Eixo Atlântico vai convocar, em Setembro, uma conferência de presidentes de câmara e peritos, para debater e aprovar propostas operativas para o processo de reconstrução, tanto no âmbito das suas próprias competências como no âmbito das competências nacionais e das regiões autónomas.

O Eixo Atlântico é uma associação reúne 36 municípios do norte de Portugal e da Galiza, entre eles Braga, que se fez representar na vídeo-conferência por António Barroso, adjunto da presidência da autarquia.