REGIÃO – Estatísticas de Compostela incluem pela primeira vez o Caminho Braga-Santiago

REGIÃO –
Estatísticas de Compostela incluem pela primeira vez o Caminho Braga-Santiago

O Serviço de Peregrinos da Catedral de Santiago de Compostela acaba de revelar, pela primeira vez, as estatísticas referentes à atribuição da compostela em referência ao Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga à capital da Galiza na distância de 240 quilómetros.

Segundo os dados publicados no site do serviço, a compostela foi entregue em Abril a 18 peregrinos que completaram o caminho (referido como Braga C.G.A.) e a três em Março. A entrega formal do documento começou no final de Março, embora haja pessoas que o tenham recebido antes.

PUBLICIDADE

Além destes peregrinos, há outros 145 que partiram de Braga este ano e receberam a compostela, mas as estatísticas da Catedral de Santiago não especificam qual o caminho que seguiram.

As associações ligadas à valorização do Caminho da Geira e dos Arrieiros referem que o itinerário foi percorrido por 300 pessoas desde a apresentação do primeiro traçado, há dois anos, em Braga, devendo  ultrapassar o meio milhar no corrente ano.

“A nossa experiência no apoio aos peregrinos diz-nos que muitos não pedem a compostela, pelo que, como acontece com outros caminhos, os números das estatísticas são inferiores à realidade”, explica Abdón Fernández, presidente da Associação Jacobeia do Caminho da Geira Minhoto Ribeiro.

A associação tem registo da passagem de peregrinos a pé, de bicicleta e a cavalo, mas reconhece que há muitos que não se anunciam, pelo que “é muito difícil” saber com certeza quantos cumpriram o percurso desde maio de 2017.

Por outro lado, há peregrinos que fizeram o Caminho da Geira e dos Arrieiros, mas porque começaram noutras cidades ou em localidades intermédias do percurso não estão contabilizados.

Para isso acontecer, é preciso que o seu número mensal justifique a designação de itinerário seguido (incluindo assim todos e não apenas os que partem de Braga). Para constar no relatório anual do Serviço de Peregrinos da Catedral de Santiago de Compostela é necessário que seja feito por mais de 500 pessoas.

Nos primeiros quatro meses deste ano, os caminhos de Santiago foram percorridos por 43.051 pessoas, a grande maioria a pé (40.842). Os portugueses foram 4.675 e a cidade do Porto o principal ponto de partida nacional, com 3.892 peregrinos. Em Portugal, a maioria escolheu os caminhos Central e da Costa, que justificaram a atribuição de 10.963 e 584 compostelas, respetivamente.

A compostela é um documento entregue aos peregrinos que completem o Caminho de Santiago, percorrendo no mínimo os últimos 100 quilómetros a pé ou a cavalo, ou 200 quilómetros em bicicleta, e que declarem tê-lo feito por motivos religiosos ou religiosos/espirituais.