FUTEBOL -
FC Amares perde final da Taça AF Braga para o GD Joane

O GD Joane venceu o FC Amares, por 3-1, conquistando a Taça AF Braga, este domingo, em Vizela. Uma péssima entrada em jogo e um golo sofrido na segunda parte, no melhor momento da equipa no jogo, penalizaram a equipa amarense.


Pior início era impossível. O FC Amares entrou praticamente a perder na final da Taça AF Braga, sofrendo dois golos, ambos muito facilitados, em 12 minutos.

O GD Joane, ao invés, foi tremendamente eficaz. Primeiro, Totas aproveitou uma má abordagem de Sérgio Maka a um cruzamento para bater Jorge (4 minutos).

PUBLICIDADE

Depois, Diogo, de livre directo, aumentou a vantagem para dois golos, num lance em que o guarda-redes amarense podia ter feito melhor (12 minutos).

Pelo meio, o FC Amares já se aproximara com perigo da baliza de Sérgio, quando Bié e Zé Miguel não conseguiram a melhor finalização perante a compacta defesa do Joane.

Numa primeira parte com poucas oportunidades mas muita eficácia na hora de alvejar as balizas, os amarenses acabariam por reduzir aos 26 minutos. Após um cruzamento da direita, um desentendimento entre Sérgio e Gomes deixou a bola à mercê de Bié, que só teve que encostar.

A partir daí, moralizado pelo golo, o FC Amares conseguiu ter mais bola, assumindo mais as despesas do jogo, ainda assim sem criar verdadeiro perigo para a baliza adversária – tal como o Joane não voltou a incomodar Jorge.

Seria já no último lance da primeira parte que os amarenses estariam perto do empate. Bié chegou primeiro à bola do que Sérgio e tocou na direcção da baliza, com a bola a sair um pouco ao lado. O árbitro acabou por considerar que o avançado amarense fizera falta sobre o guardião contrário.

A segunda parte começou de forma bem diferente, com um FC Amares muito mais afoito e consistente. A equipa amarense assumiu as rédeas do jogo, passando a jogar no meio-campo do Joane, que baixou linhas e adoptou uma postura muito mais expectante.

As entradas de Orlando e Miguel Silva para os lugares de Hélder e Tiago Alves, logo aos cinco minutos do segundo tempo, demonstraram a vontade de o treinador Luís Manuel dar mais poder ofensivo à equipa.

A verdade, contudo, é que apesar de ter mais bola e rondar a área contrária, não conseguiu ter lances de golo iminente, apenas criando perigo em remates de longa distância.

Eficaz, pragmático e letal, acabou por ser o Joane a voltar a marcar, aos 71 minutos, num exímio lance de contra-ataque, após um livre favorável ao Amares. O recém-entrado Zezé correu vários metros sozinho e na cara de Jorge fez o 3-1, deixando a equipa de João Pedro Coelho com uma mão na Taça.

De novo a perder por dois golos, o FC Amares não enrolou a bandeira, procurou sempre um golo que lhe permitisse relançar o jogo, mas esbarrou na coesão do Joane. No final, a festa foi feita em tons de vermelho e branco.