TURISMO -
Fluxo de turistas nacionais colmatou falta de emigrantes e estrangeiros no Gerês

O Gerês registou, este ano, um acréscimo de «procura interna» que «colmatou» a falta de emigrantes e turistas estrangeiros, mas «não teve mais gente» este Verão do que nos anteriores, segundo a Associação Empresarial do Vale do Homem (AEVH).

Em declarações à Lusa sobre a época de verão em Terras do Bouro, o responsável pela AEVH, Carlos Silva, justificou a «falsa percepção» de ter havido «muito mais gente» no concelho devido a uma maior procura por parte de turistas nacionais.

PUBLICIDADE

Considerou que este Verão «foi bom» e «ajudou a equilibrar» alguns sectores de actividade, embora realçando que, «ao contrário do que se deu a entender, este ano não houve mais gente no Gerês».

«Houve mais procura interna, por parte do turista nacional, mas que veio colmatar a falta dos emigrantes”, explicou.

Ao nível do alojamento, este «foi um ano muito bom, com uma procura maior que os anos anteriores mas essa procura não teve igual reflexo na restauração e no comércio».

A AEVH salienta o «voto de confiança do turista nacional».

«Por outro lado, recebemos menos pessoas de fora e, sobretudo, não tivemos o regresso dos nossos emigrantes que, no Verão, por si só, costumam encher a vila, os cafés, restaurantes, alojamento e mexer muito com a economia local, que foi também muito afectada com o cancelamento das festas populares», apontou.

Apesar de o verão ter «de alguma forma ajudado a equilibrar» a economia local, aquela associação empresarial reforçou que o actual quadro de pandemia tem sido muito «duro» para a zona.

«O Verão ajudou mas não salvou, por assim dizer. Os nossos associados sentiram e continuam a sentir um forte e muito negativo impacto causado pelos condicionalismos da pandemia», alertou.