PAÍS -
Governo quer colocar mais de 15 mil trabalhadores em lares

O Governo anunciou esta quarta-feira que o programa de reforço de recursos humanos em lares vai permitir contratar mais 15 mil trabalhadores.

Em paralelo, será também lançando o programa PARES 3.0, no montante de 110 milhões de euros para a construção e requalificação de equipamentos sociais.

PUBLICIDADE

Numa cerimónia no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, a Ministra Ana Mendes Godinho, ao lado de António Costa, acordou com representantes do sector social o reforço do programa de apoio de emergência aos equipamentos sociais.

Trata-se de um programa coordenado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), que já colocou 6.200 desempregados, trabalhadores em “lay-off” e outras pessoas elegíveis a desempenhar trabalho social em mais de mil instituições.

Segundo Ana Mendes Godinho, o objectivo do Governo passa por «ir mais longe» pelo que vai ser alargado o número de pessoas abrangidas pelo programa, «para reforço das instituições de modo a poderem preventivamente ter mais pessoas já a trabalhar».

O objectivo é «colocar até ao final do ano 15 mil pessoas em instituições do sector social de modo a responder às situações da pandemia e incluindo também a vertente da formação».

No caso do PARES, os equipamentos sociais abrangidos incluem creches, serviços de apoio domiciliário, centros de dia, lares de idosos e a rede de respostas residenciais e de centros de actividades ocupacionais.

O financiamento pode ser aplicado em obras de construção de raiz, obras de ampliação, remodelação de edifício ou fracção ou na aquisição de edifício ou fracção.