REGIÃO

REGIÃO -
Investigadores minhotos desenvolvem leggings que aceleram recuperação muscular após treino desportivo

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

É uma boa notícia para os amantes e entusiastas do desporto. O CeNTI, instituto de I&DT, o, Citeve, ambos com sede em Famalicão, e a Faculdade de Desporto da Universidade do Porto – desenvolvem umas leggings, que permitem optimizar e acelerar o processo de recuperação muscular após a prática de exercício físico.

Este produto, em cujo desenvolvimento conta com das empresas Tintex, sede em Vila Nova de Cerveira, e da Hata, uma empresa especializada na produção de malhas/tricotagem com instalações em Esposende, além de diminuir o tempo de recuperação, a solução tecnológica aumenta a eficácia e o desempenho desportivos.

Em nota ao PressMinho, os investigadores explicam que esta peça “única e disruptiva no mercado”, é composta por “estruturas têxteis avançadas com sistemas de electroestimulação, aquecimento e massagem e compressão localizados. É na conjugação e integração destas tecnologias que reside o seu carácter inovador”.

PUBLICIDADE

“Estes sistemas inteligentes actuam ao nível da estrutura têxtil, sendo a combinação de ambos o aspecto diferenciador face a outras soluções comerciais. Para o desenvolvimento dos sistemas de massagem e compressão serão integrados, por processos têxteis, materiais com memória de forma; para o desenvolvimento dos sistemas de electroestimulação serão incorporados, por processos têxteis, fios condutores e, para a criação dos sistemas de aquecimento, serão incluídos, na estrutura têxtil, circuitos de aquecimento através de electrónica impressa”, revelam.

RECEPTIVIDADE POSITIVA

Para os investigadores “é, ainda, importante referir que a componente wearable destas tecnologias permite a utilização das leggings no domicílio, sem dependência de terceiros para o seu manuseamento”, referem os responsáveis do projecto, denominado Wear2Heal.

Apesar de ainda estar em desenvolvimento, nomeadamente na fase de prototipagem e validação/optimização, as expectativas quanto à sua entrada e receptividade no mercado são positivas, segundo indicam os estudiosos.

“Há um elevado interesse do consórcio em comercializar as soluções desenvolvidas. Estas serão comercializadas pela Tintex que, além dos mercados onde já se afirma – Portugal, Alemanha, Suécia, entre outros –, pretende dinamizar novos mercados, como os Estados Unidos da América e Japão, por serem países com elevado potencial económico e propensos à aquisição de novos produtos e de elevada qualidade”, acrescentam.

Além das leggings, as estruturas têxteis avançadas podem ser aplicadas, no futuro, noutras peças de vestuário. Nesta fase, os investigadores optaram pelas leggings por serem “um dos tipos de vestuário mais utilizados durante a prática desportiva”.

A investigação surgiu do levantamento de necessidades identificadas pelo consórcio, tendo em conta a evolução e as tendências de um mercado cada vez mais competitivo e focado em soluções mais sustentáveis, eficientes e inovadoras, tanto ao nível da saúde como ao nível do desporto. O projecto visa, assim, corresponder ao mercado com uma solução de valor acrescentado.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS