PAÍS -
Marcelo defende necessidade de «ajustar» festas familiares como o Natal

O Presidente da República defendeu este domingo, no Gerês, a necessidade de «ajustar» festas familiares, como o Natal, considerando que terá que haver bom senso tendo em conta a pandemia Covid-19.

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que «o risco é maior quando há aglomerações», sublinhando que «as pessoas podem conceber e concretizar» esses encontros «de uma forma sensata tendo em atenção a situação vivida».

PUBLICIDADE

Em declarações aos jornalistas, à margem da comemoração dos 50 anos do Parque Nacional da Peneda-Gerês, que decorreu no Vidoeiro, na Vila do Gerês, o chefe de Estado garantiu que «é possível encontrar fórmulas» para adaptar as comemorações e deu como exemplo a forma como pensou passar o seu próprio Natal.

«Em vez de ter uma festa na noite de Natal com dezenas de elementos de família num espaço muito limitado, é possível dividir uma parte que se encontra ao almoço, no dia 24, outra ao jantar no dia 24, outra ao almoço no dia 25 ou ao jantar no dia 25», exemplificou.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, isto «não quer dizer que as pessoas deixem de ter as suas cerimónias de culto» ou que «as famílias deixem de se encontrar», mas antes que «celebrem este ano de uma forma adequada».