AMARES - «Não faz sentido falar de Gualdim Pais esquecendo esta comunidade»

AMARES -
«Não faz sentido falar de Gualdim Pais esquecendo esta comunidade»

O Auditório Conde Ferreira, em Amares, acolheu esta manhã o encerramento das Jornadas Gualdinianas, com uma série de comunicações alusivas à vida e obra de Gualdim Pais, desde o seu nascimento, aos feitos e à sua influência na História de Portugal. No final da sessão, o Vereador da Cultura do Município de Amares, Isidro Araújo, afirmou que «não faz sentido falar de Gualdim Pais esquecendo esta comunidade», aludindo ao facto de, num primeiro momento, Amares ter ficado fora destas jornadas, que arrancariam em Barcelos e passariam por Braga, Coimbra, Tomar e Vila Verde.

A sessão de abertura foi feita pelo Presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, seguindo-se João Ribeiro da Silva, representante da Direção Regional da Cultura Norte.

As comunicações tiveram início com José Viriato Capela, Professor Catedrático do Departamento de História da Universidade do Minho, que procedeu à apresentação da temática das Jornadas.

PUBLICIDADE

No momento seguinte tomou a palavra Mário Jorge Barroca, Professor Catedrático do Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, que abordou o tema «Gualdim Pais, Mestre dos Templários em Portugal».

Por último subiu ao púlpito Cunha Leiradella, escritor, que abordou o tema «Jornadas D’Amares».

ESTA TARDE

Durante a tarde, serão realizadas visitas culturais ao Santuário da Abadia e ao Mosteiro de Santa Maria de Bouro.