XVIII edição da Feira Mostra de S. Martinho - O mel como porta-estandarte agrícola de Terras de Bouro

XVIII edição da Feira Mostra de S. Martinho -
O mel como porta-estandarte agrícola de Terras de Bouro

O mel pretende ser o produto charneira do Concelho de Terras de Bouro. Na edição da Feira-Mostra de S. Martinho deste ano, uma palestra e o II Concurso do Mel serão o lançamento para um grande fórum de debate previsto para o próximo ano. Segundo o Presidente da ATAHCA, Mota Alves, a ideia «é organizar um evento que marque toda a região Norte do país, onde as abelhas e o mel de Terras de Bouro sejam protagonistas». Outro dos objectivos é trazer «o conhecimento desenvolvido no Instituto de Nanotecnologia, nomeadamente, métodos de combate à vespa asiática para a discussão pública».

«Ainda há muito a fazer pelo mel do Gerês, nomeadamente, acrescentar-lhe valor. O mel é uma das potencialidades para a fixação e criação de jovens agricultores, sobretudo, para os que têm formação académica, ideais para a introdução desse valor», referiu ainda Mota Alves. Um dos próximos passos poderia passar pela criação de um selo que marcasse o mel como sendo de Terras de Bouro, um processo que poderia ser liderado pela Câmara Municipal.

Quanto à edição deste ano, que arranca sexta-feira, para além do mel há uma panóplia de produtos agrícolas e não só, de produtores locais que «assim têm a oportunidade de escoarem os seus produtos, promovendo-os e vendo-os», como referiu o Presidente da Câmara. Manuel Tibo salienta que a «Feira Mostra irá oferecer aos visitantes actividades e vivências associadas às tradições locais» destacando, a corrida de cavalos, o folclore, a gastronomia (com restaurantes e tasquinhas com produtos tradicionais) e a animação com concertos do grupo “Factor Jota” e Sérgio Mirra.

PUBLICIDADE

Até dia 11 de Novembro, a avenida principal da vila servirá de recinto para a XVIII edição com três tendas de dimensões ajustadas ao espaço disponível, onde estarão concentrados cerca de 50 stands e a praça alimentar. O autarca espera ter «pelo menos, o mesmo número de visitantes do ano passado mas, como todos sabemos, as condições atmosféricas são importantes para a decisão das pessoas saírem ou não de casa».