AMARES –  Ponte da Parada limitada a circulação de veículos ligeiros

AMARES –
Ponte da Parada limitada a circulação de veículos ligeiros

O executivo municipal de Amares aprovou esta segunda-feira, por unanimidade, uma proposta para a limitação de carga na Ponte da Parada, em Dornas, na freguesia de Bouro Santa Maria, onde passarão a poder circular apenas carros ligeiros. A ponte faz a ligação com o concelho de Vieira do Minho.

O presidente da Câmara, Manuel Moreira, disse que aquela «é a mais antiga ponte de betão armado em Portugal, tem mais de um século e nunca teve uma intervenção de fundo», havendo neste momento a necessidade de «tomar uma posição» por «razões de segurança».

«Sei que é uma medida que vai criar constrangimentos, mas a segurança está acima de tudo. A circulação ficará a ser feita apenas por ligeiros», explicou.

PUBLICIDADE

Sobre a possibilidade de uma intervenção futura, «que é muito cara», o autarca acrescentou que dois técnicos da Câmara de Amares e dois da Câmara de Vieira do Minho vão fazer um estudo, que será depois remetido ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) para «avaliar o que pode ser feito».

Classificada como monumento de interesse público desde 2016, a Ponte da Parada – ou Ponte do Bôco – tem um tabuleiro com 33 metros de comprimento com apenas uma faixa de rodagem.

Foi construída entre 1908 e 1909 e faz a ligação entre o lugar de Aldeia, freguesia de Parada do Bouro, concelho de Vieira do Minho, e o lugar de Dornas, freguesia de Bouro Santa Maria, concelho de Amares.

Tem um tabuleiro com 33 metros de comprimento com apenas uma faixa de rodagem.