OPINIÃO

OPINIÃO -
Pôr em pratos limpos

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Artigo de Teresa Campos

Nutricionista

 

PUBLICIDADE

“Dica”, no dicionário da língua portuguesa, significa “indicação útil”. “Instantâneo” significa “que se faz num instante”. “Flexível” significa “complacente”.

Pior do que a gelatina instantânea é a gelatina já pronta. A gelatina instantânea é melhor em termos de resultado final mas, a gelatina já pronta, é mais rápida. Deseja-se encontrar o resultado da primeira na facilidade da segunda. Isso é uma ilusão.

Atualmente, pedem-se dicas, mas há, no entanto, todo um percurso, um conhecimento e um saber-fazer para chegarmos àquela recomendação. Pode ser uma questão de semântica mas, para qualquer um de nós que compreenda que “a nossa liberdade termina onde começa a liberdade do outro”, a gelatina já pronta é uma analogia para a palavra “dica”. E, quase sempre, as dicas que são pedidas são mais do mesmo, sem compreenderem o valor da personalização e alheias do tempo de dedicação. Assume-se que é insolente quem se opõe oferecer o óbvio, o que se faz num instante. A educação é basilar e se alimentamos a “flexibilidade”, sabemos que o produto final será muito aproximado a uma gelatina já pronta. Não interessa como foi feito mas que já está feito. Encontramos também solução para essas expectativas: a mais básica! Mas, aceitem o que vos é dado e assumam quaisquer danos que daí advenham. Podem ainda dar sinal da vossa existência, mesmo que seja mínima mas concordante, ou, podem, sem capacidades de autocrítica e contribuição, manter uma postura de admoestar até que alguém seja complacente. Existe um motivo para nos organizarmos em sociedade que é, através da norma, haver a estabilidade de um grupo, sem se  instaurar o caos.

Não peçam, a um/a nutricionista, uma dica, nem no seu exercício nem nas suas relações quotidianas (porque como podemos ser menos profissionais nos momentos mais “relaxados” quando devemos ser sempre profissionais?). Não esperem, ainda, do/a nutricionista, que aceite e promova pares que não tenham igual postura. Existe a norma e a ética e isso é intransponível.

A revolução alimentar possibilitou conhecermos a gelatina instantânea e, posteriormente, a gelatina já pronta. Estamos, sem dúvida, num ritmo galopante, sem ponderação para compreendermos o espaço e a função do outro, sem disponibilidade para receber de boa fé e, sem a capacidade de autocrítica. “Pôr em pratos limpos”, numa expressão popular que almeja, bem, a eliminação de ruídos em posturas, é a direção certa, de forma assertiva e honesta, e, por isso, serena.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS