REGIÃO – Jornadas Técnicas sobre os Carvalhos para «promover uma reflexão sobre a floresta e o território»

REGIÃO –
Jornadas Técnicas sobre os Carvalhos para «promover uma reflexão sobre a floresta e o território»

As IV Jornadas Técnicas sobre os Carvalhos têm como tema principal “Educar para a Floresta Autóctone”, que será repartido em três abordagens distintas. “Educar para o futuro”, “Educar para amanhã” e “Educar para beneficiar” são os painéis que de sexta a domingo (26 a 28 de Outubro) decorrem ao longo do dia no Campo do Gerês, Terras de Bouro, com o intuito de «promover uma reflexão sobre a floresta e o território, procurando sensibilizar e assim minimizar as problemáticas», disse o presidente da ATAHCA, José da Mota Alves, em conferência de apresentação da iniciativa.

«Foi e ainda é necessária esta conjugação de esforços entre instituições públicas e privadas», acrescentou José da Mota Alves.

Quanto à preservação ambiental e numa perspectiva de futuro, o presidente da ATAHCA acrescentou que «o carvalho, a médio prazo, é tão ou muito mais rentável que o eucalipto, pois reserva uma série de vantagens relacionadas com a biodiversidade da paisagem, com toda a fauna e flora associada, que é completamente diferente das espécies de crescimento rápido».

PUBLICIDADE

Da Associação de Compartes de Campo do Gerês esteve José Carlos Pires, que destacou a programação criada para as Jornadas, «onde se pretende mostrar todo este património e o seu valor».

José Carlos Pires referiu ainda que «acima de tudo, pretende-se que haja sensibilidade em como vemos a necessidade de implementar passos sociais para beneficiar as grande metrópoles e centros urbanos a um custo reduzido. Às tantas, também é preciso que os cidadãos percebam que precisam de espaços naturais e que estes são difíceis de manter. Ainda para mais dentro da lógica de uma floresta autóctone, que é muito difícil de cuidar e cujos os frutos tardam a aparecer. A sociedade também tem de ajudar a participar na construção da floresta autóctone».

Também presente na sessão de apresentação esteve Carlos Evaristo, da “Mãos à obra Portugal!”, que enalteceu a importância da floresta autóctone e do desenvolvimento deste trabalho para as próximas gerações. «Educar para o futuro é muito importante, para que as gerações futuras possam cuidar deste património».

Com 150 inscritos nas Jornadas, os workshops “A Flora Silvestre à mesa” e “Processamento da Bolota” serão duas das novidades a desenvolver, para além da introdução de copos em barro que substituirão os habituais copos de plástico, numa clara demonstração de preocupação ambiental.

JORNADAS

As IV Jornadas Técnicas sobre os Carvalhos são organizadas pela ATAHCA, pela Associação de Compartes do Campo do Gerês, pelo Município de Terras de Bouro, UTAD, Ordem dos Biólogos e AMO PORTUGAL.

Com realização bienal, estas Jornadas dão continuidade a um projecto iniciado em 2013 como corolário do objectivo partilhado por várias entidades de «promoverem uma floresta portuguesa saudável e rica para aqueles que nela vivem e dela dependem, bem como proporcionar espaços lúdicos e de ócio aos visitantes».

Saídas de campo, apresentações, debates, provas gastronómicas e momentos didácticos serão algumas das actividades a desenvolver no Museu de Vilarinho das Furnas e da Geira, onde serão para partilhadas experiências e conhecimento entre participantes, oradores, convidados e escolas.