SAÚDE PÚBLICA (Alto-Minho)

SAÚDE PÚBLICA (Alto-Minho) -
Sobe para sete o número de pessoas com “legionella” em Caminha

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O número de pessoas do concelho de Caminha infectadas com ‘legionella’ subiu para sete, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte da Saúde Pública. Segundo fonte da Unidade de Saúde Pública do Alto Minho, o sétimo doente é um homem de 97 anos.

A mesma fonte especificou que cinco doentes estão internados no hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e um sexto, um homem de 86 anos, acamado, está a ser acompanhado no domicílio. Segundo a fonte, este idoso de 86 anos foi diagnosticado no hospital de São João, no Porto.

Das cinco pessoas hospitalizadas, uma senhora de 60 anos está internada nos cuidados intensivos, sendo que as autoridades continuam a investigar a origem da infecção.

Em declarações aos jornalistas, o delegado de saúde do Alto Minho, Luís Delgado, disse que a maior parte dos doentes “reside a 500/600 metros” de uma área de Vila Praia de Âncora que está a ser investigada, a par de outras zonas “suspeitas”.

“Pode ser uma zona onde exista eventualmente um ar condicionado, um fontanário ou equipamentos de irrigação que possam gerar aerossóis”, explicou.

O delegado de saúde notou que existe “uma equipa grande, de saúde ambiental e saúde pública, no terreno a identificar as situações”. “A primeira fase é de suspeita. Depois temos de confirmar se a suspeita se confirma”, observou Luís Delgado.

O responsável acrescentou não poder confirmar se os equipamentos municipais foram já descartados como estando na origem da contaminação. “Há várias suspeitas em Vila Praia de Âncora”, freguesia do concelho de Caminha.

Numa informação escrita distribuída aos jornalistas, foi referida a existência de “seis casos notificados”, dos quais cinco internados, “um com alta prevista para hoje [terça-feira]”.

“Isto tem a ver com os aerossóis, o ar, que contaminou essa doente”, referiu Luís Delgado, acrescentando que “a maior parte dos doentes reside em Vila Praia de Âncora e um em Vilarelho”, e todos “sem relação familiar”.

Quanto aos sintomas da infecção, o delegado de saúde explicou que “é como se fosse uma gripe, com febre, dores de cabeça, tosse ou falta de ar”. “A diferença é que, neste caso, a infecção não é provocada por um vírus, mas por uma bactéria”, acrescentou.

As seis pessoas inicialmente identificadas neste foco de ‘legionella’ têm entre 52 e 92 anos, indicou à Lusa o presidente da Câmara de Caminha, Rui Lajes. O primeiro caso foi notificado às autoridades de saúde na sexta-feira, sendo que esta terça-feira já foram identificados dois casos.

A doença do legionário, provocada pela bactéria ‘Legionella pneumophila’, contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

[email protected]

 

PUBLICIDADE

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS