TERRAS DE BOURO -
Terras de Bouro evoca 25 de Abril com mensagens digitais

O impacto da pandemia de Covid-19 por todo o território é visível e tem deixado marcas na sociedade, numa altura em que o confinamento social se tornou a realidade e o dia-a-dia da maioria dos portugueses. Por forma a assinalar a liberdade e o dia mais importante na história de um Portugal democrático, as muitas instituições, sejam elas públicas ou privadas, resolveram adaptar as suas comemorações. Incluído neste mesmo exemplo está o Município de Terras de Bouro que disponibiliza, na sua página oficial, os vários discursos de alguns dos partidos representados na Assembleia Municipal. Para ler as mensagens na íntegra consulte o site do Município de Terras de Bouro em: https://www.cm-terrasdebouro.pt/

MENSAGEM DO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE TERRAS DE BOURO – AUGUSTO BRAGA

O Presidente da Assembleia Municipal de Terras de Bouro, Augusto Braga, destaca, em mensagem dirigida aos terrabourenses, que «é num contexto diferente, de incerteza, para o país e para o mundo, que decorre este ano a celebração do 25 de Abril».

PUBLICIDADE

«Foi esta visão de uma sociedade livre, mais fraterna e mais justa que determinou os principais intervenientes de Abril a saírem a rua», diz, acrescentando mais à frente «hoje talvez haja a necessidade de uma nova aprendizagem do que é de facto a liberdade, mais do que isso, talvez saber onde termina a minha liberdade, pois nunca devemos esquecer que os outros também gozam da mesma liberdade, é igual para todos. A liberdade envolve responsabilidade».

Augusto Braga sublinha ainda que «é neste espírito de Abril que a sociedade civil se deve constantemente empenhar, tomando consciência dos seus direitos e dos seus deveres, pois infelizmente, muitas vezes teimámos em esquecer os nossos deveres. Devemos exigir também mais consciência cívica e mais consciência moral das pessoas que estão envolvidas quer na política, quer nos negócios, quer nas actividades económicas e financeiras».

MENSAGEM DO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE TERRAS DE BOURO – MANUEL TIBO

O Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, denota que «se hoje vivemos e sentimos plenamente o ideal democrático, muito devemos a quem na madrugada do dia 25 de Abril de 1974 derrubou o regime fascista e opressor que governou Portugal durante quarenta anos».

Sobre o contexto actual, o autarca lembra que «hoje, tal como há 46 anos, temos que seguir unidos, coesos e solidários nesta luta contra um inimigo invisível que surge silencioso e, infelizmente, por vezes letal, mas somos “gente de vigor que fundou com bravura um país há 877 anos” e desde aí, muitas glórias, conquistas e adversidades contribuíram para nos fortalecer como Nação. Por isso, a “batalha contra esta pandemia” será, certamente, mais uma mostra da nossa perseverança e da nossa coragem».

Manuel Tibo salienta ainda que «o futuro não é um lugar para onde estamos a ir, mas um lugar que estamos a construir juntos. É neste dia que se renova a esperança num País melhor para todos e sobretudo para as gerações futuras».

«Temos consciência de que a democracia é sempre uma tarefa inacabada, mas como escreveu Sophia de Mello Breyner, façamos dos nossos dias “um dia inteiro e limpo” e um “despertar da noite e do silêncio” rumo a uma democracia plena e respeitadora dos mais elementares direitos do homem: a LIBERDADE», conclui.

MENSAGEM DO PARTIDO SOCIAL DEMOCRATA – ISMÉNIA LOUREIRO

Isménia Loureiro, líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal de Terras de Bouro, começa por apontar que «quem diria que em plena democracia, instaurada faz hoje 46 anos, nos sentiríamos tão limitados na nossa liberdade, e tudo devido a um vírus».

Mais à frente, a social-democrata refere que «uma das maiores conquistas da Revolução dos Cravos foi o surgimento do Poder Local Democrático, que permite autonomia na execução de várias medidas, e vemos que, apesar da obrigatoriedade do executivo adoptar estas medidas, nunca são esquecidos os valores reivindicados nesta Revolução».

«É responsabilidade de todos nós, cidadãos interventivos na sociedade, promover o desenvolvimento do nosso Concelho, lutar pela igualdade não só de direitos, mas também de deveres, promover a equidade entre todos, para uma maior prosperidade. Enquanto políticos, fazemos por merecer este crédito, tentando, dia após dia, servir a causa pública», vinca.

MENSAGEM “TERRAS DE BOURO O NOSSO PARTIDO” – EDUARDA PEIXOTO

Eduarda Peixoto, do Movimento “Terras de Bouro o Nosso Partido”, recorda que «comemorar o 25 de Abril é comemorar a Liberdade e a dádiva de vivermos hoje numa Democracia e numa sociedade livre, em que por definição são respeitadas os direitos e liberdades fundamentais dos cidadãos».

A deputada municipal não esquece o contexto actual, afirmando que «a democracia também tem que ser vivida como uma responsabilidade de fazermos o que está correto e o melhor para nós, para a nossa família, mas também para o próximo e para a sociedade, porque também aí residirá a nossa força de combate a esta pandemia».

«E nós em especial, como representantes de instituições democráticas e detentores de cargos políticos, que tenhamos a inspiração e a união para assumirmos a responsabilidade de ajudarmos as famílias portuguesas e em particular as famílias do nosso Concelho e os nossos empresários a atravessar esta crise, porque essa também será a melhor forma de honrarmos e homenagearmos o regime democrático que representamos», frisa.

«A liberdade não pode e não está suspensa, apenas este ano terá que ser vivida de uma forma diferente», termina Eduarda Peixoto.

MENSAGEM DA COLIGAÇÃO DEMOCRÁTICA UNITÁRIA – ALEXANDRE PEREIRA

Alexandre Pereira, representante da CDU na Assembleia Municipal de Terra de Bouro, dirigindo-se ao Presidente deste mesmo órgão delibeativo, Augusto Braga, começa por demonstrar o seu desagrado pelo cancelamento das celebrações do 25 de Abril, apresetando, por isso, uma série de argumentos para tal. (ler mensagem na íntegra no site oficial do Município).

«Não Sr. Presidente!, não é ridículo celebrar o 25 de Abril neste momento. É pena que o Sr. Presidente não tenha sido capaz de estar à altura do momento que vivemos e que em vez de uma atitude responsável e pedagógica, tenha sucumbido à mistificação e ao populismo dos falsos argumentos das forças mais retrógradas e reacionárias da sociedade Portuguesa. A CDU e o seu eleito na Assembleia Municipal estão em profundo desacordo com a sua decisão e sobretudo com os argumentos por si utilizados», atira.

Na mensagem, o representante da CDU explica também que «assinalar o 25 de Abril é evocar a nossa Constituição, a Constituição da República Portuguesa, a “Constituição de Abril”, com tudo o que ela comporta de progressista, com a força e o valor que tem, mesmo depois de vários ataques e dos anseios de muitos em a subverter».

«É reafirmar o amor a este povo e a confiança na sua capacidade transformadora. Assinalar a Revolução de Abril, nestes tempos marcados pelo vírus, é assumir a coragem de enfrentar a hipocrisia daqueles que propagandeiam as teses do “todos juntos”. É enfrentar e denunciar os ataques aos trabalhadores e à democracia. É denunciar e abrir caminho à superação das injustiças e desigualdades», vinca Alexandre Pereira.

 

Até à data da elaboração da notícia, não constava no site do Município qualquer mensagem do Partido Socialista.