TERRAS DE BOURO -
Terras de Bouro quer mais investimento do Governo para fixar população e criar emprego

O presidente da Câmara de Terras de Bouro, Manuel Tibo, apelou esta quinta-feira à Secretária de Estado da Valorização do Interior para que haja «mais investimento» do Governo em infra-estruturas que permitam fixar a população e criar emprego no concelho.

A fixação da população e a criação de emprego foram, de resto, dois objectivos centrais focados pelo autarca terrabourense na reunião que teve, esta quinta-feira, com a Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira.

PUBLICIDADE

«Queremos dar respostas às populações mas precisamos que o poder central olhe para nós doutra forma, como locais de investimento e um investimento que terá retorno na criação de emprego, fixação das populações e na atracção de nova gente», explicou.

Em concreto, o autarca apontou à criação de um parque empresarial «capaz de atrair empresas tecnológicas, criando assim posto de trabalho», e reiterou a vontade de ver construída uma ligação rápida à entrada da auto-estrada em Ponte da Barca – a chamada ligação Homem/Lima.

«Estamos a uma hora do aeroporto, a pouco quilómetros da capital de distrito. Estamos perto mas estamos longe. É preciso investimento nesta área e que as autarquias tenham mais autonomia financeira», sublinhou.

Lembrando que o concelho possui «condições naturais únicas», Manuel Tibo reiterou que «é preciso criar condições para que a população daqui não queira sair e para atrair mais pessoas quer para viverem aqui quer para terem aqui as suas casas de férias».

«O desenvolvimento do concelho não pode passar só pelo turismo. Temos que criar emprego», frisou.

O autarca sublinhou ainda ser sua intenção criar uma «valente» praia fluvial no Alqueirão, em Vilar da Veiga.

Na reunião, foram debatidos outros problemas que assolam o concelho de Terras de Bouro, nomeadamente relacionados com água, saneamento e comunicações.

«PRIORIDADE DO GOVERNO»

No final da reunião, a Secretária de Estado Isabel Ferreira disse que a valorização do interior «é uma prioridade» do Governo, exemplificando com o facto de ter nesta legislatura ter sido criado o Ministério da Coesão Territorial.

A governante anunciou também que o Governo vai lançar dois programas vocacionados para o interior, que permitirão aproveitar os fundos comunitários.

Segundo Isabel Ferreira, um deles visa «dotar os territórios do interior com necessidades básicas», como fibra óptica, saneamento e acessibilidades, enquanto o outro destina-se a «expandir e consolidar as actividades que já existem».