DESPORTO -
A 24 horas do jogo SC Braga/AEK, Governo desce de 4.500 para 2.200 de número de adeptos 

Afinal são só 2.200 os adeptos do SC Braga que vão assistir, esta quinta-feira à noite, a partir das 20h00, ao jogo de futebol da Liga Europa com o AEK Atenas, da Liga Europa de futebol.  Quarta-feira, à tarde, veio uma ordem governamental no sentido de proibir a presença de adeptos, contra o que estava acordado.

Face a esta proibição, e ao que O Vilaverdense/Pressminho soube, o presidente do clube, António Salvador, desdobrou-se em contactos com as entidades oficiais do futebol e com a Secretaria de Estado, reclamando da decisão, argumentando que já havia bilhetes vendidos, e todo o trabalho de preparação das três bancadas que receberão adeptos já tinha sido feito. A que acrescia as tarefas ligadas à segurança, quer a sanitária, quer a pública, neste caso, a cargo da PSP local.

“A preparação do jogo deu um trabalhão! Não faz sentido que, à última hora, se mudem as regras”, disse fonte do clube, frisado que foi isso que Salvador fez ver às entidades oficiais.

PUBLICIDADE

Assim, e conforme noticiámos esta quarta-feira, os adeptos terão de usar máscara e respeitar o distanciamento social, revelou ontem o Comando Distrital da PSP.

“Este é o primeiro jogo oficial de clubes com adeptos no continente [depois da paragem provocada pela pandemia de covid-19], pelo que teremos os olhos do país e da Europa postos no Estádio Municipal”, salientou o responsável, em conferência de imprensa, frisando que “é muito importante que todos cumpram as regras para que outras portas se possam ir abrindo e no futuro possamos ter mais jogos com público”, referiu.

O comissário sublinhou que no estádio estarão “responsáveis da Direcção-Geral da Saúde a avaliar” a forma como as coisas vão decorrer.

O SC Braga recebe o AEK Atenas, na primeira jornada do grupo G da Liga Europa.

Segundo Fernando Rabaldinho, ainda “não se notou” a presença de qualquer adepto grego em Braga, mas uma coisa é certa: no estádio apenas entrarão sócios do clube da casa, até porque a UEFA proibiu o acompanhamento das equipas pelos aficionados em deslocações ao campo do adversário.

Amanhã, e por ordem das autoridades de saúde, só poderão entrar 4.500 pessoas – quatro mil em três bancadas e 500 nos camarotes -, o correspondente a 15% da lotação do estádio.

O responsável da PSP vincou que os adeptos terão de ir “numa vertente individual”, mesmo que pertencendo ao mesmo agregado familiar.

O público será repartido pelas bancadas nascente inferior, poente inferior e poente superior, sendo que as portas abrem pelas 18:00.

“É importante que os adeptos cheguem cedo, para evitar aglomerados”, disse ainda Fernando Rabaldinho.

O cumprimento das regras sanitárias será, em primeira instância, fiscalizado e assegurado pela equipa de segurança privada que presta serviço no estádio. A PSP só intervirá em caso de desrespeito. No momento da compra do bilhete, o associado do Sporting de Braga terá que preencher e assinar um boletim epidemiológico.

“Esperemos que não seja preciso”, referiu Fernando Rabaldinho, frisando que a actuação da PSP assentará, preferencialmente, no diálogo.

O jogo com os gregos será o primeiro a ter público nas bancadas do Estádio Municipal de Braga desde que a pandemia de covid-19 provocou a interrupção das competições, em Março.