OPINIÃO - A relevância do empowerment pessoal

OPINIÃO -
A relevância do empowerment pessoal

O termo empowerment deriva do verbo empower que significa, em tradução livre do dicionário Cambridge, dar a alguém a autoridade oficial ou a liberdade de fazer algo. Quando aplicado na gestão pode ser definido como capacitação pessoal envolvendo reflexões sobre os princípios, valores, habilidades e competências capazes de delegar responsabilidades e transformar objetivos em realidade.

Segundo Pinto (2001) pode ser definido como “…um processo de reconhecimento, criação e utilização de recursos e de instrumentos pelos indivíduos, grupos e comunidades, em si mesmos e no meio envolvente, que se traduz num acréscimo de poder – psicológico, sócio-cultural, político e económico – que permite a estes sujeitos aumentar a eficácia do exercício da sua cidadania.”

Nas palavras de Lee e Koh (2001) “…pode ser considerado como sinónimo de delegar autoridade, motivação, autoeficácia, enriquecimento do trabalho, participação dos trabalhadores, autoliderança, autonomia, autodeterminação, autogestão, autocontrole, autoinfluência, nem de elevado envolvimento ou gestão participativa, embora na generalidade da literatura sejam usados como palavras relacionadas.

PUBLICIDADE

O empowerment pessoal envolve também o desenvolvimento da competência, da confiança para definir metas realistas, ambiciosas e com potencial. Neste sentido, o processo de empowerment envolve a tomada de consciência, identificando competências dos outros indivíduos em situação semelhante, agregando recursos e habilidades necessários para orientar e controlar, decidir e agir em áreas relevantes para cada pessoa.

A capacitação pessoal significa também que haja envolvimento, confiança, co-criação e participação conjunta de várias pessoas de diferentes visões, sensibilidades, competências e habilidades capazes de em conjunto obter diferenciação e de valor acrescentado.

Cada pessoa tem em si, um enorme potencial de força, resiliência, habilidade e talento que precisa de ser colocada em prática, desenvolvendo a auto-consciência, conhecendo os seus pontos fortes, as suas limitações, bem como, as oportunidades e ameaças.

Um dos fatores fundamentais para promover a capacitação pessoal reside no auto-conhecimento, fortalecendo a sua motivação, a sua determinação, o seu empenho. Neste sentido, e nas palavras de Herzberg “a verdadeira motivação vem do trabalho em si, e não dos prémios dados, pela sua execução.

Outro aspeto relevante para a capacitação pessoal consiste em desafiar as suas próprias limites, crenças e debilidades, no sentido de pôr em ação todo o potencial humano, desafiando de forma continuada os nossos próprios limites e transformar o mindset saindo da zona de conforto.

O mindset ou mentalidade é a forma como todos nós organizamos os nossos pensamentos, mostrando otimismo ou pessimismo na ação continuada do quotidiano, agregação de aspetos como: o nosso comportamento, a ação, performance, atitude e os resultados, na certeza que que os resultados são sempre, consequência de ações tomadas diariamente.