CULTURA -
Amares assinala aniversário de Sá de Miranda com o desejo de aproximar o autor à comunidade

A Câmara de Amares e o Centro de Estudos Mirandinos assinalaram, esta sexta-feira, o 533º aniversário de Francisco Sá de Miranda, frisando a vontade de aproximar o poeta das escolas e da comunidade.

A sessão simbólica de aniversário abriu com o descerrar de uma placa onde está inscrito um poema de Sá de Miranda, na fachada da Biblioteca Municipal.

PUBLICIDADE

«Soubemos que este era um poema que estava inscrito nas paredes do metro de São Paulo, no Brasil. Por isso, fazia todo o sentido que também estivesse aqui», explicou o Director do Centro de Estudos Mirandinos, Sérgio Guimarães de Sousa.

Para o responsável do Centro, «Sá de Miranda teve um papel crucial na sua época, porque foi o introdutor em Portugal das novas práticas literárias vindas da Itália, ou seja, das ideias renascentistas».

O vice-presidente e vereador da Cultura da Câmara de Amares, Isidro Araújo, adiantou que é intenção da autarquia espalhar vários poemas de Sá de Miranda, nomeadamente «os mais simbólicos», em vários pontos do concelho.

Na sessão foram também apresentados três quadros, colocados nas escadas interiores da biblioteca, que resultam de um trabalho feito numa oficina de artes por alunos de uma turma do 9º ano do Agrupamento de Escolas de Amares em colaboração com o artista plástico Alberto Péssimo.

EDIÇÃO DA OBRA E COLÓQUIO

A edição da obra completa de Francisco Sá de Miranda deverá ser lançada ainda este ano, de acordo com a informação transmitida esta sexta-feira por Isidro Araújo.

No próximo ano, além da nova edição do prémio literário, a autarquia e o Centro de Estudos Mirandinos pretendem avançar com um colóquio de formação de professores, que será acreditado e permitirá aprofundar o estudo da obra de Sá de Miranda.

«Era algo que tínhamos projectado para este ano, mas que não aconteceu pelas razões que conhecemos [pandemia Covid-19]. A formação de professores é para avançar em 2021, numa parceria com a Universidade do Minho e que será muito importante para levarmos às escolas o trabalho das temáticas de Sá de Miranda», frisou Isidro Araújo.