AMARES – -
Amares. Centro de Estudos Mirandinos quer reeditar obra completa de Sá de Miranda

Promover a reedição da obra completa do poeta Francisco Sá de Miranda é um dos principais objectivos do recém-criado Centro de Estudos Mirandinos, instituição de investigação integrada na estrutura da Câmara de Amares, cuja Direcção foi empossada esta sexta-feira.

«A reedição da obra de Sá de Miranda é um trabalho gigantesco, mas que acreditamos ser possível lançar no final de 2021 com muita abnegação e muito sacrifício», disse o director do Centro de Estudos Mirandinos, Sérgio Guimarães de Sousa.

PUBLICIDADE

Tem como principal propósito promover e divulgar trabalhos e actividades na área científica dos estudos sobre a vida e obra de Francisco de Sá de Miranda, procurando valorizar tudo aquilo que está relacionado com o autor.

A criação de um “roteiro literário”, que dê a conhecer alguns dos locais por onde passou o poeta e que ao mesmo tempo potencie a vertente turística do concelho, é outro dos objectivos desta nova valência, que ficará sediada na Biblioteca Municipal.

«Este Centro de Estudos será o articulador de tudo aquilo que tem que ver com Sá de Miranda, que representa para nós um património de paixão e de emoção. Faltava-nos esta dimensão de investigação e de acentuar a divulgação junto dos mais jovens, algo que pretendemos fazer agora», sublinhou o vereador da Cultura, Isidro Araújo.

Lembrando o «grande sucesso» que foi a primeira edição do Prémio Literário Sá de Miranda, o autarca anunciou que, durante este ano de 2020, decorrerão as Jornadas Mirandinas, que se destinarão a professores dos Ensino Básico e Secundário, sendo devidamente acreditadas.

Além de Sérgio Guimarães de Sousa, a Direcção do Centro de Estudos Mirandinos integra ainda o professor universitário João Paulo Braga, a advogada Mónica Silva e os presidentes de Junta de Freguesia de Fiscal e Carrazedo, Augusto Macedo e João Soares, respectivamente.