PAÍS -
António Costa confirma em Viana do Castelo “novo incentivo fiscal” à recuperação das empresas 

O primeiro-ministro, António Costa, confirmou, esta segunda-feira, em Viana do Castelo, que a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) prevê um “novo incentivo fiscal” à recuperação das empresas.

“O Orçamento de Estado que vai ser hoje apresentado na Assembleia da República prevê um novo incentivo fiscal à recuperação de forma a dar um apoio suplementar às empresas para poderem investir. É um forte incentivo para que investiam no sentido da recuperação e da sua capitalização”, afirmou António Costa.

O primeiro-ministro, que falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra na nova fábrica da BorgWarner no parque empresarial de Lanheses em Viana do Castelo, adiantou que este “instrumento interno” será complementar ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) no apoio ao investimento empresarial.

PUBLICIDADE

Segundo o chefe do Governo, Portugal dispõe de sete mil milhões de euros do PRR “destinados exclusivamente às empresas, em geral, e às indústrias, em particular”.

Destacou o programa Agendas Mobilizadoras que pretende “fomentar a realização de consórcios entre empresas, centros de conhecimento e autarquias para a criação de novas áreas de negócio, novos serviços e novos produtos”.

O PS já tinha anunciado que o Governo estava a preparar para o próximo Orçamento do Estado incentivos para que as empresas que invistam paguem menos IRC, mostrando-se convicto na viabilização do documento apesar do “seu grau de dificuldade”.