TERRAS DE BOURO - -
Assembleia Municipal aprovou Orçamento para 2020 por maioria em sessão “longa e acesa”

A Assembleia Municipal de Terras de Bouro aprovou esta sexta-feira por maioria, com nove abstenções, as Grandes Opções do Plano e o Orçamento da autarquia para 2020, que apresenta um montante global de mais de 14,8 milhões de euros. Na apresentação do documento, o Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, apontou que «2020 será um ano de concretização de investimentos ansiados no Concelho».

«Iremos manter a determinação para não defraudar as expectativas dos terrabourenses», acrescentou o autarca.

Na apresentação do ponto, Manuel Tibo abordou os vários projectos e opções que constam no Plano – nas mais diversas áreas – como a criação de novos espaços (Centro de BTT ou o canil), a requalificação, revitalização e valorização de espaços patrimoniais (como a Geira, a Raia Termal ou o Parque da Assureira), ou até as diferentes fases da construção da Rede Pedonal, «estruturante e acessível ligação entre Rio Caldo e Vilar da Veiga», entre muitos outros casos.

PUBLICIDADE

DISCUSSÃO DO PONTO AQUECEU SESSÃO

Durante a discussão do ponto, Manuel Sousa, do Movimento “Terras de Bouro O Nosso Partido”, afirmou que na apresentação do orçamento foram comunicadas as obras e uma «certa propaganda», com algumas «propostas que transitam do ano passado».

«Vão mesmo acontecer ou continuar a arrastar-se para os outros orçamentos?», questionou, acrescentando, «existem muitas carências e necessidades neste Concelho. Fala-se em muitas ideias e estudos, mas é preciso avançar. Aceitamos, mas temos muitas dúvidas quanto à sua concretização. Fica sempre a falsa impressão de que para o ano é que vai ser».

Ricardo Gonçalves, do PS, tomou também ele da palavra para deixar o seu parecer.

«O sr. Presidente aproveita muito bem as novas tecnologias para fazer propaganda. Transforma a realidade virtual em algo mesmo real», disse.

Já com os ânimos mais quentes, o socialista referiu que o «orçamento não tem uma linha sobre emprego e fixação de jovens», que «o PDM deveria ser discutido com outra vontade» e ainda que «deveria ter sido feito um estudo estratégico de desenvolvimento do Concelho».

«O sr. encontra petróleo onde nem sequer há água», atirou.

TIBO NÃO FALTOU À RESPOSTA

Em tom de resposta, o Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, explicou que «em relação às ideias tenho de deixar uma referência. A oposição também tem esse papel, mas quanto às propostas, não chegaram».

Relativamente às obras, Manuel Tibo vincou que estas se «falam há muitos anos, mas estão a vir agora para o terreno. O compromisso é de tudo fazer. Há muitos anos que as obras são esperadas e eu gostava também de as ver concluídas. Não é propaganda, é perceber o trabalho que estamos a fazer. Mais obras responsabilizam-nos e eu assumo as responsabilidades e farei o que puder».

Mais desenvolvimentos na edição impressa de Dezembro de 2019