REGIÃO -
Bienal de Cerveira expande-se pelo Norte através de quatro pólos expositivos

A XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira volta a expandir-se pelo Norte do país com exposições gratuitas em Monção, Vila Praia de Âncora, Alfândega da Fé e Viana do Castelo.

“A singularidade estética da Bienal Internacional de Arte de Cerveira reside também na diversidade de narrativas e interpretações, apresentadas em diferentes contextos”, afirma o director artístico do evento, Cabral Pinto.

PUBLICIDADE

Reafirmando o seu papel como agente de descentralização cultural, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira apresenta, assim, quatro pólos expositivos fora de Vila Nova de Cerveira: a Galeria de Arte do Cine Teatro João Verde (Monção), o Centro Cultural de Vila Praia de Âncora (V. P. de Âncora), a Casa da Cultura Mestre José Rodrigues (Alfândega da Fé) e a Galeria Noroeste – Fundação Caixa Agrícola do Noroeste (Viana do Castelo).

Com curadoria de Ricardo de Campos, a Galeria de Arte CTJV em Monção foi o primeiro espaço a abrir, com a exposição ‘Território Pintura’, que até 4 de Setembro apresenta 16 artistas portugueses e espanhóis, cuja problemática de trabalho possui como centro discursivo as questões vinculadas à pintura.

Já a exposição ‘Poéticas e imaginários – Travessias com múltiplas conexões’ abre portas esta sexta-feira no Centro Cultural de Vila Praia de Âncora e permanece aberta ao público até 13 de Setembro. A partir de 19 artistas, a curadora Isabel Lima propõe um olhar sobre a arte como uma arena de ideias e sentidos que oferece novas possibilidades e significados, num espaço e num tempo que se caracteriza pela complexidade e diversidade.

Este sábado, a Casa da Cultura Mestre José Rodrigues, em Alfândega da Fé, inaugura a mostra ‘Uma Cereja na Génese de Eugénio e Zé Rodrigues’, comissariada por Ágata Rodrigues e António Oliveira. Tendo como objectivo homenagear dois amigos que foram/são, simultaneamente, duas referências da cultura em Portugal, a exposição dá a conhecer as suas obras e poemas sobre a temática da cereja. Para tornar esta exposição mais genuína e rica, foi ainda pedida a colaboração de três amigos de ambos: Aurélio Mesquita, Artur Moreira e M. Sousa Pereira. A visitar até 30 de Setembro.

O último pólo expositivo a abrir é o de Viana do Castelo. De 28 de Agosto a 16 de Outubro 2020 a Galeria da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste, apresenta a exposição ‘Livro de Artista, Diversidade de Espaços’, comissariada por Fernanda Boas. A partir de livros de artista de 19 criadores, apresenta-se uma diversidade de narrativas, de novas presenças e identidades que abrem portas para um entendimento individual e para a complexidade das interpretações.

As inaugurações são restritas, mas têm transmissão em directo a partir da página oficial do Facebook e no canal de Youtube da Fundação Bienal de Arte de Cerveira.

Recorde-se que a Bienal de Arte de Cerveira permanece de portas abertas até 31 de Dezembro de 2020, para apresentar mais de 350 obras de cerca de 370 artistas de 38 países.