INCÊNDIOS -
Bombeiros portugueses e espanhóis podem intervir em território vizinho até 25 quilómetros

Portugal e Espanha assinaram esta terça-feira um acordo que aumenta a actuação da protecção civil além da fronteira entre os dois estados sem “necessidade de um pedido político”, de cinco para 25 quilómetros, disse o ministro da Administração Interna.

A XIII Reunião da Comissão Mista Luso-Espanhola de Proteção Civil decorreu na sede da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), em Carnaxide, concelho de Oeiras, e terminou com a assinatura de um protocolo entre o presidente da ANPC, Carlos Mourato, e o director-geral da Direcção Geral de Protecção Civil e Emergências Espanhola, Juan Antonio Diaz Cruz.

PUBLICIDADE

O novo acordo vai permitir um aumento da área de actuação das forças da protecção civil dos dois países, além da fronteira, de cinco para 25 quilómetros, sem haver necessidade de Portugal e Espanha fazerem um pedido político.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considerou que o documento assinado é “um bom exemplo de cooperação entre Portugal e Espanha, que tem já um passado de auxílio recíproco” e que o Governo procura agora, “acima de tudo, agilizar, flexibilizar”.

“A fronteira é um conceito do passado numa Europa que queremos unida, os fogos nunca usaram passaporte para passar de um lado para o outro e aquilo que queremos aqui garantir é o reforço da segurança das populações nas áreas de fronteira quer do lado espanhol, quer do lado português com o apoio recíproco imediato”, explicou Eduardo Cabrita.

O ministro considerou que os bombeiros “poderão alargar o seu espaço de intervenção”, porque “há uma confiança, um trabalho em conjunto”.