TERRAS DE BOURO -
Construções ilegais na Caniçada. Presidentes de Junta de Rio Caldo e Valdozende são arguidos

O Ministério Público (MP) acusou 31 arguidos em dois processos relacionados com construções ilegais, em Terras de Bouro e Vieira do Minho, junto à Albufeira da Caniçada, noticia o jornal Público.

Segundo o jornal, entre os arguidos, além dos proprietários das casas, estão os presidentes de Junta de Rio Caldo e de Valdozende, no concelho de Terras de Bouro, assim como o presidente de Junta de Louredo, em Vieira do Minho, assim como técnicos das duas Câmaras Municipais.

PUBLICIDADE

Em causa estão crimes de violação de regras urbanísticas, nomeadamente do Plano de Ordenamento da Albufeira da Caniçada, de falsificação ou contrafacção de documento, abuso de poder e prevaricação de titular de cargo político.

No caso de Vieira do Minho, há 18 acusados, havendo mais 13 no processo relativo a Terras de Bouro.