AMARES -
Cuidados de saúde em Amares aquecem reunião de Câmara

A prestação de cuidados de saúde primários e o funcionamento do Centro de Saúde de Amares voltou a provocar muita discussão, esta segunda-feira, em reunião de Câmara, originando uma troca de argumentos entre Manuel Moreira e Pedro Costa.

No período de antes da ordem do dia, o vereador socialista lembrou que, há semanas, fizera uma proposta para a atribuição de um voto de louvor aos profissionais do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) Gerês/Cabreira, pelo trabalho feito tendo em conta a pandemia Covid-19.

PUBLICIDADE

O voto de louvor «pareceu ter acolhimento mas acabou por não ter consequências», segundo Pedro Costa, que em seguida aludiu aos problemas no funcionamento no Centro de Saúde de Amares, que levaram à apresentação de uma moção de desagrado na última Assembleia Municipal depois de duras críticas do presidente da Junta de Caldelas, Paranhos e Sequeiros.

«Há alguns problemas, é verdade, mas parece-me que houve excessos de linguagem na Assembleia Municipal e uma desproporcionalidade na forma como o assunto foi tratado. Parece-me que foi uma posição empolada e de uma injustiça muito grande», atirou.

Na resposta, o presidente da Câmara, Manuel Moreira, disse que «voltava a defender» a moção, assegurando que existem de facto problemas no funcionamento do Centro de Saúde, nomeadamente no apoio aos mais idosos, que já foram debatidos com a Direcção do ACeS.

Sobre o voto de louvor, o autarca lembrou que a autarquia já enalteceu o trabalho de todos os envolvidos no combate à pandemia, nomeadamente profissionais de saúde, Bombeiros, Cruz Vermelha e GNR, considerando que «não faz sentido» atribuir um voto de louvor específico ao ACeS Gerês/Cabreira.

«Não percebi onde o PS quer chegar com essa proposta», atirou, acusando o vereador Pedro Costa de ter «interesses políticos» na questão.

Pelo meio, o vice-presidente da autarquia, Isidro Araújo, lembrou que a moção de desagrado foi aprovada por unanimidade pela Assembleia Municipal, que «é um órgão autónomo».

«Nunca foi criticado o trabalho do ACeS tendo em conta a Covid-19, que tem que ser valorizado. No entanto, os idosos e doentes sem acesso aos meios fáceis de gestão ficaram algo abandonados», apontou.

REUNIÃO NA QUARTA-FEIRA

A reunião entre a Câmara, a Direcção do ACeS e os presidentes de Junta do concelho vai decorrer na próxima quarta-feira, a partir das 17h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal.

«Estão convidados todos os presidentes de Junta e também os líderes dos diferentes partidos com assento na Assembleia Municipal», anunciou Manuel Moreira.

A reunião, tal como “O Amarense” já tinha noticiado, vai servir para analisar o funcionamento dos cuidados de saúde primários no concelho.