CULTURA -
Documentário retrata ruralidade e relação com os lobos das gentes de Castro Laboreiro

Rodado em Castro Laboreiro, o documentário ‘Fojos’, de Anabela Moreira e João Canijo, estreia a 2 de Setembro, no festival IndieLisboa, em sessão especial.

‘Fojos’ regista o quotidiano da comunidade local, a ruralidade, o isolamento e a relação com a natureza marcada pelo envelhecimento, pela ligação ao campo, num território de lobos ibéricos, em pleno Parque Peneda Gerês.

PUBLICIDADE

O lobo ibérico nunca aparece no documentário, mas surge representado nas histórias contadas pela população, nas superstições que perduram, nas carcaças de animais mortos encontrados e nos fojos, as antigas armadilhas com muros de pedra, que ainda subsistem na paisagem local.

O filme testemunha ainda rotinas de uma localidade afastada dos grandes centros, em que a mercearia é ambulante, em que perduram rituais da matança do porco, e onde a diversidade social entra através de uma comunidade cigana local.

A actriz Anabela Moreira, que assina a imagem e a cor-realização de ‘Fojos’, e o realizador João Canijo voltam a fazer um documentário sobre as terras do Norte e Centro do país, depois de terem feito os documentários ‘Portugal – Um dia de cada vez’ (2015) e ‘Diário das Beiras’, de 2017.

Anabela Moreira é ainda autora dos filmes ‘A mim’ (2017) e ‘O dia do meu casamento’ (2016), e participou em várias obras de João Canijo, entre as quais ‘Mal nascida’ (2007), ‘Sangue do meu sangue’ (2011) e ‘Fátima’ (2017).

Actualmente, João Canijo prepara o filme ‘As filhas do enforcado’.

O festival IndieLisboa, onde ‘Fojos’ é exibido numa sessão especial, fora de competição, começou no dia 25 e termina a 5 de Setembro.