SAÚDE -
Henrique Gouveia e Melo afirma que Portugal poderá atingir imunidade de grupo em Agosto

O coordenador da task force para o Plano de Vacinação contra a Covid-19 em Portugal, Henrique Gouveia e Melo, notou esta segunda-feira que a disponibilidade de vacinas contra a Covid-19 melhorou, o que fez com que a meta para atingir a imunidade de grupo no país também se alterasse, passando para o próximo mês de Agosto.

Gouveia e Melo falava durante a reunião decorrida esta segunda-feira sobre a situação epidemiológica da Covid-19 em Portugal, que juntou políticos e especialistas na sede do Infarmed, em Lisboa.

Para Henrique Gouveia e Melo, no que diz respeito à disponibilidade de vacinas, «desde o dia 19 de Fevereiro, a redução no primeiro trimestre continuou a confirmar-se apesar de ser menor».

PUBLICIDADE

«No entanto, isso continua a fazer com que a primeira fase (de vacinação) ultrapasse o primeiro trimestre», apontou o coordenador, sublinhando, contudo, que há uma «expectativa mais positiva» em relação ao segundo, terceiro e quarto trimestres do ano.

«Se estas expectativas se mantiverem e se materializarem no futuro próximo, o período em que se poderá atingir os 70% de imunidade de grupo pode eventualmente reduzir-se e passar para meados do Verão, à volta de Agosto ou inícios de Agosto», afirmou. No entanto, «isto são expectativas que ainda têm de se confirmar», acrescentou Gouveia e Melo.

«VACINAR CERCA DE 100 MIL PESSOAS POR DIA NO SEGUNDO TRIMESTRE»

Henrique Gouveia e Melo disse ainda que «haverá uma concentração de vacinas já no segundo trimestre suficiente para aumentar a velocidade de vacinação, para cerca de 100 mil vacinas por dia». “No primeiro trimestre estamos a viver um momento em que a disponibilidade de vacinas é reduzida e há um estrangulamento. No segundo trimestre esse estrangulamento desaparece e devemos conseguir fazer uma média de cem mil vacinas por dia”, acrescentou.