EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO -
Manuais do 3.º e 4.º anos vão deixar de ser devolvidos

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Todos os manuais do 1.º ciclo distribuídos aos alunos vão deixar de ser reutilizados, revelou esta quinta-feira o ministro da Educação, João Costa. Uma medida que a Confederação Nacional de Pais (Confap) aplaude, mas – em declarações ao JN – lamenta não ter sido tomada mais cedo.

Como avança aquele diário, a medida vai constar da proposta de Orçamento do Estado para 2024 que será entregue pelo Governo, em outubro.

Numa entrevista à revista Visão, o ministro revela que o Governo decidiu que se vai deixar de reutilizar os manuais do 1.º ciclo. Muito por causa da análise dos dados «sobre a reutilização» e as «questões que surgiram» com a devolução dos manuais do 3.º ano, no final do ano letivo,

«No próximo ano letivo, já não será preciso entregar estes manuais», garantiu o governante.

A taxa de reutilização dos manuais do 3.º ano até agora apurada é de 24,1%, revelou o Ministério da Educação ao JN.  O diário realça ainda que durante a pandemia, os livros do 1.º ciclo não foram devolvidos. Os manuais do 1.º e do 2.º já não eram reutilizados. No final do ano letivo, recorde-se, as escolas souberam que os alunos do 3.º e do 4.º ano teriam de devolver os manuais distribuídos no âmbito do programa de gratuitidade.

No 4.º, como iam ser introduzidos, este ano, novos manuais, também não houve reutilização.

A tutela enviou em agosto às escolas um esclarecimento para que as famílias não fossem penalizadas e tivessem acesso aos vouchers.

A reutilização passa assim a abranger os livros do 5.º ao 12.º ano.

[email protected]

PUBLICIDADE

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS