REGIÃO -
Município de Esposende cria plataforma para candidaturas à Acção Social Escolar

A Câmara Municipal de Esposende criou uma Plataforma on-Line para submeter candidaturas à Acção Social Escolar.

Tendo em consideração as medidas restritivas de confinamento social decorrentes da Pandemia da COVID-19, o Município pretende, deste modo, «agilizar e facilitar às famílias as candidaturas à Acção Social Escolar e ao Transporte Escolar e, por outro lado, garantir uma maior eficiência associada à desmaterialização, modernização e simplificação administrativa».

REFEIÇÕES

PUBLICIDADE

O Município vai ainda proporcionar «refeições escolares aos alunos abrangidos pela Acção Social Escolar, de todos os níveis de educação/ensino do território concelhio, e disponibiliza os meios tecnológicos a alunos carenciados sem computadores e/ou Internet, para garantir a equidade no acesso ao ensino à distância».

CANDIDATURAS

No que se refere à Acção Social Escolar e ao Transporte Escolar, as candidaturas deverão ser submetidas online, na referida plataforma, através do preenchimento de formulários específicos. Para tal, os encarregados de educação deverão aceder ao site do Município, através do link http://web.cm-esposende.pt/educacao/.

PERÍODO DE MATRÍCULAS PARA O PRÉ ESCOLAR E PRIMEIRO CICLO ARRANCAM HOJE

Esta segunda-feira, 4 de Maio, inicia-se o período de matrículas das crianças que frequentarão a Educação Pré-escolar e dos alunos que ingressarão no 1.º Ciclo do Ensino Básico no ano letivo 2020-21.

As orientações para todo o processo de matrículas são da responsabilidade dos Agrupamentos de Escolas António Correia de Oliveira e António Rodrigues Sampaio e podem ser consultadas nas respetivas páginas electrónicas. Todavia, em conformidade com legislação vigente, o pedido de matrícula é apresentado, preferencialmente, via internet, na aplicação informática disponível no Portal das Matrículas https://portaldasmatriculas.edu.gov.pt.

Nesta fase de matrículas, o preenchimento do Boletim de transporte escolar direcciona-se, exclusivamente, a alunos do 1.º Ciclo que residam a mais de dois quilómetros do estabelecimento de ensino, cujos encarregados de educação pretendam que os seus educandos beneficiem das carreiras de transporte público que venham a operar neste território.