OPINIÃO - Never stop dreaming

OPINIÃO -
Never stop dreaming

A propósito dos sonhos podemos dizer tudo o que pensamos, imaginamos, podemos projectar para o futuro, reinventando um novo ser, pois estes são a essência da nossa alma, são a luz do nosso caminho, são o nosso propósito e por essa razão funcionam como o ar que respiramos e tal como afirmou Fernando Pessoa “Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso”.

Na essência do nosso ser temos todos os pensamentos, todos os caminhos, todas as trajectórias que à medida que caminhamos, por vezes nos parecem fáceis, outras vezes difíceis, e paralelamente, temos todo o mundo à nossa volta, no qual existimos e para o qual temos de participar, cooperar e contribuir, pois só dessa forma, coexistimos.

Desde cedo, todos os nossos sonhos são realmente nossos, sem filtros, sem limites, sem interferências e com todo o entusiasmo, descoberta e beleza natural na procura constante da razão da nossa existência, todavia, com a idade verificamos que nos vão tentando “roubar” a nossa essência, os nossos sonhos.

PUBLICIDADE

No entanto, no decorrer do nosso caminho, surgem obstáculos, uns procuram indicar caminhos que não os nossos, percursos alheios, sonhos sonhados, que nem sempre foram realizados, procurando ensinar-nos a ter medo, a desistir, a deixar de acreditar, a seguir percursos percorridos, retirando-nos o brilho, indicando-nos passos alheios, sítios já visitados.

Assim, temos temos que tomar uma das seguintes atitudes, a de aceitação e resignação, deixando-nos de ser nós mesmos, para sermos o reflexo, o desejo ou a tentativa dos outros ou em alternativa, visarmos o nosso EU interior, numa procura constante de auto descoberta, auto fortalecendo e rejuvenescimento crescente, ganhando novamente a nossa alma, a nossa essência, os nossos sonhos, pois esses sim, são aquilo que somos realmente e aquilo que fazemos.