PAÍS -
Novo estado de contingência pode obrigar ao uso de máscara na rua

A utilização obrigatória de máscara na rua pode ser uma das medidas a adoptar em Portugal a partir do dia 15 de Setembro com a reposição da situação de contingência, avança esta sexta-feira o JN.

O jornal apurou, junto de fonte da Direcção-Geal de Segurança (DGS), que esta é uma das medidas em estudo, seguindo o exemplo de países como a França, onde a máscara passou a ser obrigatória no espaço público. É ainda referido que podem voltar a ser proibidos ajuntamentos com mais de dez pessoas.

Manuel Carmo Gomes, epidemiologista citado pelo JN e um dos especialistas ouvidos nas reuniões do Infarmed, explica que a utilização da máscara “pode ser uma boa estratégia perante o contexto explicado pelo Governo”, relativamente a um possível agravamento da situação pandémica no Outono e inverno, considerando também o regresso às aulas e ao trabalho.

PUBLICIDADE

“Se a alunos fechados na sala de aulas e mais gente nos locais de trabalho e nos transportes juntarmos alguém infectado, bastam 15 minutos de contacto para que o vírus seja inalado. A máscara pode então ser uma das medidas a adoptar”, referiu.

A decisão pode vir a surgir na sequência do estado de contingência, que será decretado a partir de 15 de Setembro. Para já, a generalidade de Portugal continental continua em alerta e a Área Metropolitana de Lisboa em contingência na próxima quinzena devido à pandemia de covid-19.

“Os números do último dia e aquilo que sabemos dos números de hoje [quinta-feira] mostram um aumento do número de casos e, por isso, apesar desta tendência decrescente na região de Lisboa e Vale do Tejo e da tendência relativamente constante ao longo da última quinzena, o Governo considera que aquilo que deve é continuar exactamente com as mesmas medidas que existiam até aqui na próxima quinzena”, afirmou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, depois do Conselho de Ministros.

Na quinzena seguinte, a partir de 15 de Setembro, “todo o país ficará em estado de contingência” para que se possam definir as medidas necessárias “em cada área para preparar o regresso às aulas e o regresso de muitos portugueses ao seu local de trabalho”, acrescentou a ministra.

“Decidimos desde já que a partir do dia 15 de Setembro o país estará em estado de contingência para preparar o Outono e o Inverno”, salientou, antecipando que na semana que se inicia em 7 de Setembro serão anunciadas as medidas que passarão a estar em vigor a partir da última quinzena desse mês.

Mariana Vieira da Silva referiu ainda que a decisão de manter “exactamente as mesmas medidas” na primeira quinzena de Setembro “acontece porque os números estão estáveis e a resposta do Serviço Nacional de Saúde” está controlada, além de que a capacidade de testes “tem vindo a aumentar”.