OPINIÃO -
O impacto do talento nas organizações do futuro

As organizações estão a ser confrontadas com uma transformação digital crescente, bem como, outros desafios como a competitividade, a adaptação aos novos tempos de pandemia, a adequação constante aos seus stakeholders, a sustentabilidade ambiental, a ética e aos valores humanos, os desafios da satisfação dos colaboradores, as tendências do mercado e fundamentalmente o equilíbrio sistemático entre a economia e a equidade social e ambiental.

Paralelamente a inteligência artificial, a flexibilidade no horário de trabalho, a gig economy ou formas de trabalhos alternativo, a partir de casa, prestação de serviços ou trabalho de freelancers e a formação e aprendizagem ao longo da vida, estão a contribuir para o desenvolvimento de novas competências e habilidades.

Para acompanhar este ambiente em constante mudança é fundamental captar as melhores ideias, numa perspetiva de crowdsourcing interno, procurando capacitar os colaboradores, motivá-los, envolvê-los, liderar positivamente, procurando construir uma estratégia coerente alinhada com a cultura organizacional.

PUBLICIDADE

Estrategicamente, a organização precisa de criar uma relação mais sólida e mais próxima com os clientes, envolvendo-os nas soluções, na construção de produtos e serviços, numa dinâmica de co-criação, conectividade e interação phygital (física e digital) procurando integrar insights dos clientes (captando o feedback do cliente) observando os seus comportamentos e convidando-os a participar, através da experimentação e utilização, superando sempre que possível, as suas expectativas.

Esta crise pandémica trouxe novos desafios, relativamente a aspetos como: a distribuição de produtos e serviços entre países, a circulação de pessoas, os meios de transporte utilizados, o encerramento das empresas, a diminuição da atividade económica, o distanciamento social, a substituição do trabalho na empresa pelo teletrabalho, a conciliação da vida familiar com o teletrabalho, o isolamento social e o seu impacto no bem estar físico e emocional, constituem alguns dos desafios atuais e futuros.

Assim, precisamos de mais trabalho em equipa, mais colaboração, incentivando a meritocracia, a ética, a partilhando o conhecimento, pragmatismo e boas práticas, criatividade e reinvenção constante, procurando implementar práticas capazes de contribuírem para uma mudança de comportamentos e hábitos relevantes para uma sociedade mais equitativa e sustentável. 

Nesta perspetiva, é necessário alterar no nosso mindset defensivo, individual e operacional para uma integração e cooperação entre organizações, procurando partilhar o conhecimento, gerir de forma eficiente, os talentos, com criatividade, proatividade, resiliência, assentes numa estratégia de crescimento sustentado na ética e no respeito pelo ambiente.