AMARES -
Responsáveis políticos lembram importância das conquistas de Abril em tempos de pandemia

Sem cerimónia protocolar, mas com a intenção de marcar o 46º aniversário da Revolução de Abril. Foi assim que Amares decidiu assinalar, este sábado, o dia 25 de Abril, que abriu com o hastear das bandeiras e a deposição de uma coroa de flores no monumento evocativo aos amarenses que morreram no Ultramar.

«Este esforço contínuo que todos fazemos para não cair na tentação de condicionar a liberdade do outro é uma das maiores provas da nossa maturidade democrática, senão, um dos pilares essenciais da nossa Democracia», considera o presidente da Assembleia Municipal de Amares, João Januário Barros.

PUBLICIDADE

No discurso difundido através das plataformas da autarquia, o líder do órgão deliberativo sublinha que este «é um momento excepcional» em que cada um é interpelado para uma adequação modo de vida, «que põe à prova muitos dos valores conquistados em Abril».

«Uma das lições que aprendemos com este vírus é que a Liberdade, conquistada em Abril, é para ser exercida com responsabilidade», frisa.

Para o presidente da Câmara, Manuel Moreira, a pandemia provocada pelo Covid-19 «é provavelmente o maior dos desafio colectivos do período democrático», cujas consequências ainda não é possível antecipar.

«Nesta manhã de Abril sentimos falta das presenças humanas que habitualmente enchem de vida, de esperança e cor o largo do Município. O silêncio lembra-nos que vivemos um período excepcional da nossa democracia», realça.

Para o autarca, este é um dia feito para «celebrar conquistas», sendo que «os valores de Abril – a luta pela igualdade, a união de esforços, a coragem, a solidariedade – são mesmo motes fundamentais» nos dias que correm.

«Neste Abril, celebramos a existência de um Sistema Nacional de Saúde capaz de se organizar para dar respostas a um vírus de escala mundial; celebramos a aquisição de infra-estruturas que melhoraram consideravelmente a higiene e condições de habitação; celebramos a existência de forças de segurança que estão ao serviço do povo; celebramos a democratização do ensino que nos permite ter hoje profissionais altamente qualificados; celebramos a capacidade e direito reivindicativo que temos como cidadãos e, celebramos o poder local que hoje é chamado a assumir um papel determinante na defesa das populações», destacou.

PS DESTACA «SOCIEDADE MAIS JUSTA»

Na sua mensagem, o líder do PS de Amares, Pedro Costa, lembra que «é irónico» assinalar o dia 25 de Abril confinados, mas realça que «é bom que assim seja» para derrotar «o inimigo invisível» que é o novo coronavírus.

«Agrada-me ver que somos um povo que cumpre, porque um dever cívico falou mais alto. De cada vez que temos uma atitude que nos protege, estamos também a proteger os nossos familiares, os nossos amigos e também todos aqueles com quem interagimos. Neste problema somos todos iguais e estamos mesmo todos ligados», refere.

Lembra, no entanto, que «foi a Revolução dos Cravos a 25 Abril de 1974 que permitiu passar para esta forma livre de viver».

«Vivemos hoje uma sociedade muito mais justa, porque valentes homens do passado conquistaram esta liberdade. Cabe-nos honrar esta conquista. Exercendo estes direitos com liberdade, mas com respeito por todos. Nunca abriremos mão de defender a liberdade», frisa.

MAIS FALA EM LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA

Através do líder da bancada na Assembleia Municipal, Sérgio Guimarães de Sousa, o MAIS – Movimento Amares Independente e Solidário destacou a importância de defender os princípios de Abril num tempo de pandemia.

«Neste período muito difícil de pandemia, um período nunca antes visto e em que tudo é inédito, a luta é outra e igualmente importante: é a luta para nos mantermos vivos. A todos os amarenses, em nome do MAIS, quero, por isso, não só desejar um excelente 25 de Abril, mas também endereçar os votos de muita saúde», sublinhou.

Considerando o 25 de Abril de 1974 como o «momento mais marcante de Portugal no século XX», Sérgio Guimarães de Sousa lembra que «a caminhada pós-Abril nem sempre foi fácil» e que «fez-se de bons e menos bons momentos».

«Se muito há, evidentemente, para melhorar, muito de igual modo há para nos satisfazer o orgulho enquanto cidadãos de um país que não é tão mau como alguns afirmam, mesmo não sendo tão bom e eficiente como todos gostaríamos que fosse», realça.

JUNTOS POR AMARES: «PERÍODO DE REFLEXÃO»

A mensagem da coligação “Juntos por Amares” (PSD/CDS-PP) lembra a revolução em que «todos foram convidados a participar saindo para a rua a demonstrar o seu descontentamento», fazendo com que o regime democrático se implementasse em Portugal.

«Decorridos que são 46 anos deste acontecimento, em pleno século XXI, atravessamos um período em que nos é pedido precisamente o oposto – ficar em casa – por nós, pelos nossos, por todos. Decorridos todos estes anos nunca foi tão importante reconhecermos a nossa liberdade, esta é a liberdade que nos permite ficar e poder auxiliar aqueles que mais precisam de nós», refere.

Este é, para o grupo “Juntos por Amares”, «um período de reflexão» em que o “nós” deve sobrepor-se ao “eu” para que a pandemia possa ser vencida.

«Neste sentido um agradecimento especial a todos os que estão na linha da frente no combate a esta pandemia e fazem com que as nossas vidas possam continuar», destaca.

Os discursos na íntegra foram disponibilizados no “Facebook” da autarquia.

[Notícia actualizada]