PAÍS -
Rui Rio diz que PSD “tem de ser coerente” e por isso vota contra proposta de orçamento do Governo

O PSD vai votar contra a proposta de Orçamento do Estado para 2021. O anúncio foi feito esta quarta-feira por Rui Rio, no encerramento das jornadas parlamentares, defendendo que o documento “não é realista”, criticando o aumento do IRC e do défice.

O presidente social-democrata, muito crítico da proposta, lembrou que o Orçamento do Estado para 2020 já tinha problemas e que esses pontos agravaram-se com a situação da pandemia. Rui Rio teme um aumento do encerramento de empresas e do desemprego.

O líder da oposição fala numa situação de “incerteza” a nível económico num presente marcado pelo aumento do número de casos de covid-19 em Portugal. Rui Rio critica o Governo, dizendo que o executivo “falhou” na preparação da segunda vaga da pandemia.

PUBLICIDADE

“Uma coisa era o conhecimento que todos tínhamos em Março e em Abril, outra coisa era o conhecimento que tínhamos em Julho relativamente à possibilidade de uma segunda vaga com o know-how que entretanto adquirimos todos”, disse.

“Não podemos exigir a perfeição, sabemos que é impossível seja que Governo for resolver o problema, mas sabemos que também é possível ser mais acutilante, programar melhor as coisas e ter o SNS em melhores condições do que aquilo que estamos a falar, que é covid e não-covid”, disse, fazendo referência ao aumento do número de mortes não relacionadas com a pandemia.

CONTRA AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO

“Não acho adequado o aumento do salário mínimo nacional num momento em que as empresas não conseguem vender ou não têm receitas e num momento em que estão a lutar para não ir à falência e que não têm possibilidade de pagar salários”, disse Rui Rio. “É totalmente desaconselhável”, refere.

O presidente do PSD afirma que é a favor das novas prestações sociais e do aumento do salário mínimo, mas “não pode ser tudo ao mesmo”. “Isto inviabiliza medidas para preparar o nosso futuro colectivo. Temos de ser selectivos”, aponta.

No que diz respeito à descida da retenção na fonte do IRS, Rui Rio critica a medida, que diz induzir as pessoas em erro. “Esta obsessão pela propaganda leva as pessoas ao erro. Até parece que vão baixar o IRS, mas não vão baixar nada”, alerta, dizendo que em 2021 os portugueses serão chamados a pagar o imposto.

“Este Orçamento é adaptado às circunstâncias, mas vai na mesma ordem dos anteriores. O PSD apostaria no alívio da carga fiscal das empresas e das pessoas”, garante.

“Vamos marcar uma diferença difícil, mas das que mais gosto de marcar. O PSD é mais responsável na oposição do que o PS no Governo”, garante.