TERRAS DE BOURO -
Tibo garante que não vai abdicar do serviço de empresa de segurança no Alqueirão

A Câmara de Terras do Bouro garantiu que «em caso algum» vai prescindir dos préstimos da empresa de segurança contratada para fazer a vigilância na zona fluvial do Alqueirão, em Vilar da Veiga, pelo que o serviço vai manter-se atá final de Agosto.

Em declarações à Lusa, o presidente da autarquia, Manuel Tibo, disse que «a Câmara não vai abdicar desta vigilância e a empresa vai operar ate 31 de Agosto em prol da população».

PUBLICIDADE

«O que nós fizemos foi contratar uma empresa por ajuste directo simplificado que assegure que as medidas de prevenção à propagação do novo coronavírus, como a lotação, o distanciamento social, sejam asseguradas promovendo assim a segurança de quem escolheu o Gerês para passar as suas férias», explicou.

Segundo o autarca, «é evidente o aumento da criminalidade na área, fruto do também aumento de pessoas», pelo que a autarquia decidiu «assegurar a vigilância do local» através de uma empresa de segurança privada.

«Se a GNR e forças policiais não têm meios para fazer a devida protecção da área, a câmara não pode alhear-se dessa responsabilidade», frisou.

Tal como “O Amarense” noticiou, a PSP multou a Câmara de Terras de Bouro, a empresa Ovisegur e dois dos seus funcionários pela alegada prática de “segurança privada ilegal” na zona fluvial do Alqueirão, em Vilar da Veiga.

A PSP refere que, por se tratar de um local público, «esta forma de prestação de serviço é, segundo o regime legal, passível de confundir a sua acção com a actividade das forças de segurança».