OPINIÃO

OPINIÃO -
Uma necessidade emergente

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Opinião de Mário Paula

 

A Comunidade intermunicipal do Cávado é uma associação de municípios  na qual o nosso município está inserido, que possui um relevo preponderante em matéria de desenvolvimento territorial, onde marca a diferença na capacidade de combinar políticas de competitividade e de coesão territorial no que diz respeito a todo o seu território. A mesma é constituída pelos municípios de Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Vila Verde e Terras de Bouro.

PUBLICIDADE

Na qualidade de deputado da assembleia intermunicipal da CIM Cávado eleito por Amares, marquei presença, no passado dia 26 do mês anterior, na respetiva assembleia da nossa comunidade intermunicipal, onde foi levado até à mesma nos períodos da ordem do dia, uma proposta de apoio a uma problemática à qual nos afeta diretamente a todos, mais propriamente ao nosso concelho de Amares. Como é sabido por todos, o concelho de Amares não está classificado na sua maioria como território de baixa densidade, excetuando as freguesias de Bouro (Santa Marta), Goães, UF de Caldelas, Paranhos e Sequeiros e da UF de Vilela, Seramil e Paredes Secas. 

Para ser sucinto e explicito, quando comparamos Amares com os territórios vizinhos, nomeadamente Terras de Bouro; Povoa de Lanhoso e Vila Verde, estes classificados como de baixa densidade, com base em critérios como o rendimento per capita, não encontramos diferenças que justifiquem as desigualdades criadas com a metodologia que serviu de base para a deliberação da entidade competente, tornando Amares num parente pobre entre os concelhos vizinhos.

Efetivamente, existe um forte impacto desta classificação nas oportunidades de crescimento, competitividade e desenvolvimento, nomeadamente ao nível do tecido social, económico e empresarial de Amares.   Por exemplo, a dificuldade na captação de investimento, onde alguns projetos e candidaturas localizadas no município, não são simplesmente valorizadas e majoradas, ficando as mesmas pelo caminho, causando assim um retrocesso lamentável.

Torna-se assim essencial, que não baixemos os braços e lutemos por este assunto que diz respeito ao nosso concelho e à sua necessidade emergente em tornar o mesmo como classificação de baixa densidade.

É necessário, enaltecer e congratular, o papel do Conselho intermunicipal do Cávado que juntamente com o município de Amares e todas as forças políticas, exemplarmente, apreciaram e votaram favoravelmente à deliberação dos cinco municípios que a compõe para assim fazer chegar ao poder central, as pretensões que todos os amarenses desejam, tornar todo o território do nosso concelho, classificado como de baixa densidade.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS