CIÊNCIA -
UMinho apresenta esta quinta-feira ‘Acordo de Transparência sobre investigação animal’

Um total de 16 instituições portuguesas assinaram um ‘Acordo de Transparência sobre a investigação animal em Portugal’ para “melhorar a compreensão e aceitação” de estudos com recurso a modelos animais pelo público português, anunciou esta terça-feira a Universidade do Minho.

Em comunicado enviado à Lusa, a Universidade do Minho (UMinho), onde será feito o lançamento público do referido acordo, esta quinta-feira, explana que o documento tem ainda por objectivo promover a abertura e transparência em relação à experimentação animal”.

PUBLICIDADE

Deste modo, “os signatários concordam em partilhar de uma forma consistente a informação sobre a utilização de animais na investigação, bem como das suas justificações científicas, éticas e morais, procurando um melhor esclarecimento do público acerca destas questões”.

O acordo é uma iniciativa da Associação Europeia de Investigação Animal (EARA) e apoiada pela Sociedade Portuguesa de Ciências em Animais de Laboratório (SPCAL), sendo baseada no Acordo de Transparência Espanhol lançado em 2016.

A cerimónia de lançamento do acordo realiza-se antes do IV Congresso da SPCAL sobre Investigação Animal, nesta edição dedicado ao tema ‘Qualidade e Transparência na Investigação com Animais de Laboratório’, que tem lugar na Escola de Medicina e Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Universidade do Minho, em Braga.

Em Portugal, o acordo é assinado por 16 universidades e centros de investigação, incluindo o Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde da UMinho, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Fundação Champalimaud, o Instituto Gulbenkian de Ciência, o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto, o Instituto de Medicina Molecular e as faculdades de Ciências, Farmácia e Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa, a Faculdade de Ciências Médicas e o Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, a Faculdade de Farmácia, o Instituto de Investigação Clínica e Biomédica e o Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde, pertencentes à Universidade de Coimbra, bem como o Centro de Investigação em Biomedicina e o Centro de Ciências Marinhas, ambos da Universidade do Algarve.