A relevância crescente do Blockchain

A relevância crescente do Blockchain

Do ponto de vista prático, a blockchain pode ser compreendida como uma base de dados partilhada de registos e transações que foram implementadas e partilhadas entre os membros do “ecossistema”. Neste sentido, as interações são validadas em concordância com a maioria dos participantes e, depois de aceite e registada, não pode ser alterada, modificada ou eleminada, pois seria muito difícil e dispendioso adulterá-la sem que se desse pelo sucedido.

A evolução enorme e mais recente da blockchain, relativamente à implementação de novas e interessantes aplicações, sendo exemplo disso, o investimento relevante ao nível da criação de novos negócios digitais, star ups orientadas para o desenvolvimento tecnológico, nas mais disversas áreas do conhecimento e das empresas. A incorporação da confiabilidade, a partilha das interações, a segurança e confiança na base de dados, coerente com o consentimneto alargado entre os colaboradores e participantes na rede, contituem alguns dos factores decisivos para o seu sucesso crescente e continuado.

 Segundo Marc Andreessen, 2014  “As aplicações não financeiras são também inúmeras e prometedoras. Exemplos concretos? O registo e a prova de documentos legais; os registos de saúde; a propriedade intelectual e pagamentos; o notariado, entre outros.

PUBLICIDADE

Armazenamento de ficheiros. Soluções de armazenamento em cloud – como a Dropbox, Google Drive, iCloud ou One Drive – são cada vez mais utilizadas para guardar e partilhar ficheiros (fotografias, documentos, música, vídeo, entre outros).

Internet das coisas. A tecnologia blockchain facilita a implementação descentralizada da internet das coisas (Internet of Things – IoT), na qual os dispositivos podem comunicar diretamente entre si (peer-to-peer), sem necessidade de um dispositivo (entidade) hub centralizador. Neste tipo de arquitetura a blockchain serve de registo público, mantendo todas as mensagens trocadas entre dispositivos.

Notariado. A verificação da autenticidade de um documento pode, agora, ser feita utilizando a blockchain e o seu modelo de consenso distribuído, em vez da necessidade da intervenção de uma autoridade central. A blockchain permite que a “prova de propriedade”, “prova de existência” e “prova de integridade” sejam verificadas por entidades terceiras independentes.

Smart contracts. São contratos garantidos automaticamente por protocolos computacionais. A utilização da tecnologia blockchain veio facilitar o registo, verificação e execução destes smart contracts. Os casos em que o bem (asset) é transferido uma vez, e requer a intervenção de advogados para criar o contrato e bancos para fornecer a garantia, podem agora ser resolvidos recorrendo aos smart contracts.”

In https://www.portaldalideranca.pt/conhecimento/estrategia-e-gestao/5365-blockchain-toda-uma-economia-digital-aberta-e-escalavel