REGIÃO -
Esposende conta com sete percursos pedestres homologados

Sete dos 13 trilhos da Rede de Percursos Pedestres de Esposende estão agora homologados e figuram na base de dados do Registo Nacional de Percursos Pedestres (RNPP). O processo de classificação dos restantes percursos está ainda em curso.

O registo dos trilhos de Pequena Rota, na Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMP), permite a sua divulgação em diversas agências de promoção e turismo, com o alavancar deste produto para o desenvolvimento da economia local. As cartas de homologação emitidas pela FCMP são ‘Certificados de Qualidade’, cuja atribuição obedece a exigências relativas ao traçado, marcação e manutenção dos percursos pedestres, nomeadamente no que diz respeito à segurança dos praticantes e à preservação do ambiente.

Foram recentemente homologados os percursos ‘PR3-EPS Trilho das Cangostas’, ‘PR4-EPS Trilho das Azenhas de Antas’, ‘PR5 EPS Pela Arriba Fóssil- da Senhora da Guia ao Monte Faro’ e ‘PR6-Castro de S. Lourenço, num total de mais de 46 quilómetros que podem ser percorridos sem qualquer auxiliar, recorrendo-se apenas às tradicionais marcas para orientação: “vira à esquerda”, “virar à direita”, “seguir em frente” e “Caminho errado”, com as cores amarela e vermelha, facilmente identificáveis.

PUBLICIDADE

Os percursos contam com painéis no início e no fim, onde consta um mapa do trajecto e outras informações pertinentes, tais como sugestão dos locais a visitar, regras de conduta e contactos importantes para serem usados em caso de emergência.

Os trilhos são executados apenas em caminhos públicos, em terra batida, estradas e caminhos florestais, mas também obrigam a percorrer e explorar grandes afloramentos, revisitando os mais importantes miradouros, localizados nas cumeeiras dos montes, convidando a conhecer as belas paisagens. Picotinho, miradouros da Senhora da Guia, em Belinho, Senhora da Paz, nas Marinhas e o Monte Faro, em Palmeira, assim como o de S. Lourenço, em Vila Chã são locais de visita obrigatória e que, em breve, serão alvo de melhoramentos, com a colocação de placas de interpretação da paisagem.

Com um inegável aumento na busca e frequência deste tipo de recurso, o município tem vindo a dedicar mais meios para a manutenção e exequibilidade dos percursos.

Esta oferta permite o desfrute das paisagens pelos pedestrianistas e o contacto com a natureza, possibilitando um melhor conhecimento sobre o património natural e histórico que são identidades deste município. Por isso, abrangem áreas como as margens do rio Neiva, a granítica arriba fóssil e a grande mancha florestal e de bosques, integrada em diversas freguesias por onde seguem os trilhos. Para além destas valências, há os dólmens, menires, castros, moinhos, azenhas e cangostas, que são testemunhos silenciosos de um passado, antigo ou recente, marcas da presença do homem ao longo da História.

GRANDE ROTA

Paralelamente, encontra-se a ser desenhado um trilho de Grande Rota (GR), que atravessa todo o concelho de e, de sul a norte, e que permite a passagem e pernoita de pedestrianistas, contribuindo para um aumento do turismo e economia local, assim como conhecimento do património local.

No concelho já se encontram outros grandes percursos, como o Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela e o Caminho para S. Bento da Porta Aberta que se inicia em Fão, junto ao Bom Jesus e segue por Barcelos, Braga, Amares, Vila Verde e Terras de Bouro, num total de 70 quilómetros.

As informações sobre os percursos pedestres podem ser obtidas no Portal de Turismo do município (https://www.visitesposende.com/pt/fazer/percursos) ou em diversos suportes, nomeadamente o Guia dos Percursos Pedestres e as brochuras individuais.